Header Ads

Main

Aeroporto de Confins não ficará pronto até a Copa

















Obras de expansão do terminal não serão finalizadas antes do início dos jogos, em junho. Conclusão só em novembro.

Pátio do Aeroporto de Confins: obras de expansão não
serão finalizadas antes do início da Copa
 A obra de aumento de capacidade do terminal de passageiros do Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins, não ficará pronta até a Copa’2014. Pela primeira vez, a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) admitiu que a reforma vai ultrapassar junho do ano que vem. Segundo relatório repassado à Secretaria Estadual Extraordinária da Copa do Mundo (Secopa-MG), até abril, data estipulada inicialmente para a conclusão da obra, somente 85% das intervenções serão entregues. O restante das ações devem ser finalizadas em novembro, ou seja, quando o aeroporto já estará nas mãos da concessionária.

 A estatal confirmou que a ampliação do terminal será concluída com sete meses de atraso. As intervenções, no entanto, serão divididas em duas etapas. Até abril, serão entregues as obras civis do terraço, saguão de embarque e desembarque, check-in, praça de alimentação e administração. As nove pontes de embarque também serão substituídas por modelos novos (seis delas já foram implantadas). As instalações das salas de embarque e desembarque e a área comercial também estarão prontas, com os atuais sistemas operacionais.

 Ficará para novembro a reforma e modernização das áreas dos restaurantes, do prédio comercial e das galerias técnicas. A modernização e substituição dos sistemas eletroeletrônicos, de informações de voo e de som previstos para o mezanino, salas de embarque e desembarque remoto e sala de desembarque funcionarão depois da Copa’2014. Em nota, a assessoria da Infraero afirma que, apesar dos atrasos, com a entrega das intervenções previstas para abril, o terminal de passageiros voltará a operar abaixo da capacidade limite. “O terminal ampliará sua capacidade em 1,5 milhão de passageiros por ano. Além disso, com a conclusão da construção do terminal 3 (prevista para março), Confins aumentará sua capacidade em 5,3 milhões de passageiros por ano, totalizando 17,1 milhões”, diz trecho do texto. A expectativa é que no ano que vem 14 milhões de passageiros passem pelo aeroporto.

 A nova posição da Infraero foi dada menos de um mês depois da realização do leilão do aeroporto, evitando assim abalar o interesse dos candidatos ao certame. Antes da definição do processo licitatório, sempre que questionada sobre a possibilidade de atraso nas obras a Infraero descartava a hipótese, apesar de a cada balanço ser visível a lentidão do andamento da reforma do terminal. De abril até setembro, somente 8% das obras foram feitas. Em outubro, em reportagem publicada pelo Estado de Minas na última semana do mês, a informação era que a obra seria entregue em abril do ano que vem.

Preocupação maior

O secretário estadual extraordinário da Copa do Mundo de Minas Gerais (Secopa-MG), Tiago Lacerda, em balanço das ações anuais da pasta, disse que o trabalho é para reduzir ao máximo o impacto na operação do terminal. “Eu creio que não é uma grande preocupação, mas é a nossa maior preocupação. Seria melhor que Confins estivesse 100% entregue”, disse. Segundo Lacerda, apesar dos atrasos, a Infraero deu garantias de que não haverá problemas durante a Copa do Mundo. “Quero ser considerado uma pessoa ‘chata’ pela Infraero, pois sempre envio ofícios questionando como estão os andamentos das obras”, disse.

Em abril, uma comissão de deputados estaduais esteve no aeroporto para vistoriar as obras do terminal. À época, o superintendente regional da Infraero, Mário Jorge de Oliveira, disse aos políticos que entre 70% e 75% das obras estariam prontas até o fim do ano. Segundo ele, somente as intervenções classificadas como “periféricas” seriam executadas no ano que vem. E mais: a previsão era que até a Copa das Confederações, disputada em junho, 40% das intervenções tivessem sido entregues. Mas, até setembro, 33,17% do cronograma ficou pronto.

O prazo de entrega da obra do terminal, iniciada em setembro de 2011, era o próximo dia 31. No ano passado, a empresa contratada para executar a reforma chegou a ameaçar a paralisação dos serviços devido à lentidão na elaboração do projeto de engenharia. O trabalho era feito por outra empresa. Depois da pressão, a paralisação só não se concretizou porque o presidente da Infraero, Gustavo do Vale, esteve no aeroporto para negociar pessoalmente com a empreiteira e conseguiu pôr panos quentes no problema. O adiamento não afeta as demais obras. Segundo a Infraero, o cronograma das obras da pista e do pátio está mantido para fevereiro e abril do ano que vem. A construção do terminal 3 para março.

Texto: 

Via: Em.com
Tecnologia do Blogger.