Header Ads

Main

Estradas luminosas saem do papel e viram realidade na Holanda




















 Há cerca de dois anos, o designer holandês Daan Roosegaarde começou a trabalhar em um conceito de estradas luminosas, que armazenariam a energia da luz solar durante o dia e a usariam para brilhar à noite. Pois, se parecia só mais uma ideia distante na época, agora as “Glowing Lines” estão se tornando bem reais em seu país de origem.
























Um trecho de 500 metros de estrada, próxima à cidade de Oss, foi o primeiro a receber uma pintura especial capaz de brilhar no escuro. A tinta foi desenvolvida pela empresa holandesa Heijmans em parceria com o Studio Roosegaard, e contém um pó fotoluminescente especial capaz de brilhar por até oito horas depois de um dia inteiro banhado pelo sol.

Esta é só uma das 20 ideias que compõem o projeto Smart Highways (“Rodovias Inteligentes”) — e, possivelmente por sua simplicidade, foi a primeira a ser colocada em prática. Mas é justamente esta simplicidade que torna a ideia genial. Como Roosegaarde contou à Wired em 2012, o princípio é o mesmo daqueles brinquedos que brilham no escuro, porém aperfeiçoado para garantir um brilho muito mais intenso, comparável ao de uma lâmpada de rua. “É quase radioativo”, Roosegaarde brincou na época.

E não é exagero. A ministra holandesa da Infra-estrutura e Meio Ambiente, Melanie Schultz van Haege, acompanhou o processo de pintura e foi uma das pessoas que o viram em ação pela primeira vez. A foto abaixo, postada no Twitter, dá uma boa noção da luminosidade gerada pela tinta.




















 Apesar de sua eficiência, o projeto enfrentou muita burocracia antes de ser colocado em prática — embora já estivesse pronto há tempos, levou alguns meses até ser aprovado, e por isso sua estreia, prevista para meados de 2013, aconteceu só agora. A Heijmans diz que está ansiosa para expandir o projeto mas ainda não assinou nenhum contrato. Uma das razões é o fato de que ainda não se sabe como a tinta reagirá a condições climáticas extremas e ao desgaste causado pelo tráfego.

 Independentemente de tudo isto, esta é uma ideia simples e relativamente barata que pode trazer benefícios à segurança de qualquer estrada (e ainda por cima deixá-la mais bonita). É uma daquelas situações em que no sperguntamos “como ninguém fez isso antes?”. Adoraríamos vê-la sendo adotada em todas as estradas, e não apenas em trechos de 500 metros.

Texto: DALMO HERNANDES

Via: Flat Out. 


Tecnologia do Blogger.