Header Ads

Main

Projeto no Senado quer liberar carros de passeio a diesel


Noticia veiculada no FlatOut na coluna Zero a 300. 

 Automóveis de passeio com motor diesel são comuns no mundo inteiro, mas aqui, no Brasil, são proibidos. A alegação é que o combustível é subsidiado e que seria injusto alguém abastecer o carro com ajuda do governo (leia mais neste post). Pois o senador alagoano Benedito de Lira (PP-AL) propôs o projeto de lei 84/2015. Ele ataca a proibição direta à venda deste tipo de carro, expressa pela portaria 23/1994 do DNC (Departamento Nacional de Combustíveis).


 Segundo a tal portaria, o diesel só pode ser usado em transporte coletivo, de carga (acima de 1.000 kg) ou em veículos fora-de-estrada, com tração nas quatro rodas e marcha reduzida. Na defesa de seu projeto, Lira diz que os motores diesel são mais silenciosos econômicos e menos poluentes, além de poderem ajudar no desenvolvimento do biodiesel.

 A esses argumentos se juntam os da Aprove Diesel, entidade que faz a defesa dos veículos de passeio com motores deste ciclo. Segundo ela, a liberação do automóvel diesel também permitiria à engenharia brasileira contato com as novas tecnologias, a chance de participar de seu desenvolvimento e também a oportunidade de transformar o Brasil em um polo exportador de componentes, de motores e de automóveis diesel.

 Devido ao preço mais alto dos motores diesel, eles só seriam interessantes para quem roda muito, como taxistas e representantes comerciais. Com isso, o impacto da oferta destes veículos seria mínimo no consumo de diesel, mas proporcionaria uma enorme economia em gasolina, hoje importada, e em etanol, além de reduzir as emissões de poluentes em grandes cidades. Faz todo o sentido, não faz?

 Mas não se anime. O senador Gerson Camata (PMDB-ES) propôs em 2007 o projeto 656, propondo a mesmíssima coisa, mas de um modo diferente. Em vez de cassar a portaria que impede a venda, ele pretendia modificar o artigo 8º da lei 9.478, que criou a ANP. Foi arquivado.
Tecnologia do Blogger.