Header Ads

Main

Vereadores querem evitar cobrança de pedágio na BR 163/364


 Por Kamila Arruda para o CenárioMT 



 Com o intuito de evitar a cobrança de mais um pedágio nas rodovias do Estado, os vereadores de Cuiabá formulário um manifesto atestando o atraso nas obras de duplicação em diversos trechos da BR 163/365, divisa entre Mato Grosso do Sul e Mato Grosso até Sinop.


 O documento está endereçado ao ministro dos Transportes, Antônio Carlos Rodrigues. O senador Wellington Fagundes (PR) será o responsável por entregar o manifesto nas mãos do ministro. Isto porque, foi o próprio republicano quem solicitou o auxílio dos parlamentares nesta luta.

 Para os vereadores esta cobrança irá gerar grande insatisfação por parte dos usuários, uma vez que ainda não tem a disposição uma rodovia segura e moderna.

 Além disso, irá causar impacto financeiro, principalmente aos transportadores e caminhoneiros que utilizam a via diariamente.

 “Diversos trechos estão com obras atrasas e alguns até paralisadas. Não se pode cobrar do usuário por algo que está inacabado. Esperamos que o ministro se sensibilize com a nossa causa e suspenda o pagamento deste pedágio”, argumenta o presidente da Câmara de Cuiabá, vereador Julio Pinheiro (PTB).

 O início da cobrança do pedágio por parte da concessionária Rota do Oeste está prevista para este domingo (06). A tarifa deve variar entre R$ 19,80 e R$ 36,60 para caminhões.

 A cobrança é lícita, uma vez que possui autorização da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). A Casa de Leis, entretanto, pede a reconsideração tendo em vista a situação em que se encontra a rodovia com graves problemas de pavimentação.


 Na visão do Parlamento Cuiabano, o pedágio só deve ser implantado após a conclusão de todas as obras previstas. “Desta forma, o usuário poderá reconhecer o trabalho e empenho do Governo Federal. Além do mais, a sua manutenção seria uma boa razão para o pagamento”, finaliza Pinheiro.
Tecnologia do Blogger.