Header Ads

Main

Caminhoneiros vão parar o país



Texto De Juliana Gontijo para o O Tempo.

Trabalhadores prometem manifestações a partir de 1º de novembro nas grandes rodovias

 Novembro promete ser um mês de manifestações nas rodovias brasileiras. Pelo WhatsApp, está sendo veiculada uma mensagem chamando os caminhoneiros não filiados aos sindicatos a paralisar as atividades a partir do dia 1º de novembro, “até o governo cair”. A mensagem convocando os caminhoneiros a parar é encontrada na página Caminhoneiros, Salvem o Brasil Foro do Brasil – no Facebook – liderada pelos caminhoneiros Carlos Sales e Wanderlei Dedeco.


 Além deles, o Comando Nacional do Transporte, que se declara independente de sindicatos, já informou que fará um protesto no dia 9 de novembro. Os trabalhadores informam no comunicado que a manifestação tem apoio do Movimento Brasil Livre e do Vem Pra Rua.

 Em nota, o líder do Comando, Ivar Luiz Schmidt, informou que a decisão se ampara principalmente no fato de que o governo não atendeu reivindicações fáceis de serem atendidas como, por exemplo, a anulação das multas referentes à manifestação passada.

 O grupo mantém a mesma pauta de reivindicação de março, quando a maioria das rodovias do país tiveram o fluxo interrompido por bloqueios de caminhoneiros.

 Entre as demandas do segmento, estão a redução do preço do óleo diesel, criação do frete mínimo e anulação das multas por causa das manifestações anteriores. Eles também pedem liberação de crédito com juros subsidiados no valor de R$ 50 mil para transportadores autônomos, aposentadoria com 25 anos de contribuição e salário unificado em todo território nacional. “Somos a única categoria nesse país que trabalha, hoje, pelo mesmo valor há 10 anos”, disse Schmidt.

 Em Minas. Nesta quinta, está prevista assembleia, por volta das 15h, em frente à Belgo Mineira, em Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte, segundo o presidente do Sindicato Interestadual dos Caminhoneiros, José Natan Neto. “É a partir daí que vamos decidir o que fazer. A princípio, pretendemos parar em dezembro”, contou Natan. Ele ressalta que qualquer manifestação precisa ser organizada e com notificação das autoridades competentes.

 Natal afirmou que a situação atual dos caminhoneiros é grave. “A maioria está endividada, pois com a crise os fretes diminuíram”. E os valores pagos pelo frete deixam a desejar em razão do aumento dos custos, em especial, do óleo diesel.

 O caminhoneiro Renato Martins de Almeida disse acreditar que em Minas é um dos últimos Estados que deve parar. “Pelo que sei, ainda não existe planejamento para parar”, observa.






































Governo apresenta ponto de parada

 Brasília. A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) apresentou nesta quarta o projeto-piloto de ponto de parada e descanso dos caminhoneiros na BR-116/PR/SC. A iniciativa é da concessionária responsável pelo trecho, Autopista Planalto Sul, em parceria com a Federação das Empresas de Transporte de Carga e Logística de Santa Catarina (Fetrancesc). O custo será de até R$ 20 milhões.

 A área de estacionamento e transbordo de carga perigosa será utilizada como ponto de apoio e parada para caminhoneiros no Km 145 da BR–116, no trecho que liga Curitiba (PR) até a divisa entre Santa Catarina e Rio Grande do Sul (RS).

 O projeto será submetido à aprovação da ANTT. Ao todo, serão 120 mil m² divididos em seis blocos, cada um deles com 21 vagas de estacionamento.

 O local contará com equipamentos para atender veículos acidentados ou com algum tipo de vazamento com produto perigoso. Além dos cuidados com a carga, a proposta é implantar salas de apoio para a concessionária, ANTT e administração. Com 413 km, a BR-116/PR/SC foi concedida para a iniciativa privada em 2008, pelo período de 25 anos.
Tecnologia do Blogger.