Header Ads

Main

Motoristas profissionais se sentem indignados com reportagem do Fantástico.



 Reportagem fala sobre o novo regulamento do exame toxicológico na contratação de motoristas profissionais para caminhões e ônibus.

 O programa Fantástico da Rede Globo de Televisão, veiculou em seu último programa no dia 22/11/2015, uma reportagem que comenta a nova decisão do Ministério do Trabalho e Previdência, que foi publicada no Diário Oficial da União (DOU), na segunda-feira dia 16/11/2015. Essa portaria regulamenta a realização dos exames toxicológicos em motoristas profissionais do transporte rodoviário coletivo de passageiros e do transporte rodoviário de cargas, previstos na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). As novas regras entram em vigor em 2 de março de 2016.



 O maior ponto de indignação dos motoristas foram os números apresentados, no qual diz que um a cada três motoristas fazem o uso de drogas para dirigir. Apesar de que sabemos sim que infelizmente tenha motoristas que fazem o uso de drogas para poder dirigir, a matéria coloca como se toda a classe de caminhoneiros fizesse uso de drogas.

 Por um lado, a reportagem fala dos prazos apertados que os motoristas, principalmente os motoristas que trabalham fazendo o transporte de cargas perecíveis, como frutas e verduras, são submetidos. É claro, que os prazos são para todos os tipos de cargas.

 Porém, o prazo apertado de cargas não é o único grande problema no transporte atualmente. O preço alto do diesel com o baixo preço do frete, força os motoristas a tomarem medidas extremas para conseguirem trabalho ou conseguir fazer mais fretes na semana para terem maior receita no final do mês. Além disso, os caminhões são feitos de depósitos sobre rodas. Grandes empresas fazem que com motoristas esperem até uma semana para descarregar, e por mais que exista uma lei que as obrigam a pagar o motorista um valor diário enquanto ele espera para descarregar, a grande maioria não cumpre essa lei.

 As más condições das estradas é outro fator impactante no transporte, já que essas causam grande prejuízo ao motorista, já as estradas privadas, ou seja, as que tem pedágios, também pode causar prejuízo para os motoristas, principalmente os autônomos, já que a maioria cobra valores altos por eixo, fazendo que o lucro final do motorista seja baixo.

 A matéria pode ser vista nesse link: http://g1.globo.com/fantastico/noticia/2015/11/um-em-cada-tres-caminhoneiros-usa-drogas-revela-teste-inedito-no-brasil.html

Tecnologia do Blogger.