Header Ads

Main

PESQUISA CNT MOSTRA EVOLUÇÃO DA BR-040


 A mais abrangente pesquisa sobre as condições da infraestrutura rodoviária brasileira, realizada pela Confederação Nacional dos Transportes (CNT), confirma que o trabalho daVia 040 reflete-se concretamente na melhoria da BR-040. Se em 2014 o estudo da CNT classificava o estado geral da estrada como “Regular”, a edição de 2015, divulgada em novembro, elevou o patamar da BR-040 para “Bom”. Melhores condições de sinalização e pavimento, dente outros fatores, contribuíram para o resultado.


 O trabalho, chamado “Pesquisa CNT de Rodovias”, divide a estrada em estratos qualitativos. Em 2014, 111 quilômetros da BR-040, ou 9,4% do total analisado, foram classificados como “Ótimo”. Em 2015, o índice máximo de qualidade subiu para 25,8%, ou 309 quilômetros. Quanto à classificação “Bom”, a avaliação positiva saltou de 41,6% para 47,1% (492 km x 566 km).

ANÁLISE POR TRECHO

 Nos 157 quilômetros pesquisados no estado de Goiás, tanto as condições do pavimento quanto da sinalização receberam avaliação “Ótimo”. Houve melhora significativa neste segmento, uma vez que, na pesquisa de 2014, pavimento e sinalização haviam sido considerados “Bom” e “Regular”, respectivamente.

 No trecho de 8 quilômetros do Distrito Federal, a qualidade do asfalto, da sinalização e a geometria da via foram classificadas com a máxima pontuação, conferindo avaliação geral“Ótimo” ao segmento. A edição passada da pesquisa CNT havia pontuado o pavimento e a sinalização deste trajeto como em estado “Bom”.

 Em Minas Gerais, nos 832 quilômetros analisados, o pavimento e a sinalização foram avaliados como “Bom”, diferente de 2014, quando a sinalização recebeu classificação “Regular”. Quanto ao estado geral da rodovia, o trecho mineiro da BR-040 foi indicado como “Bom”, ante uma avaliação “Regular” na pesquisa anterior.

 A CNT desenvolveu uma metodologia para avaliar as três principais características da malha rodoviária: pavimento, sinalização e geometria da via. Essas características são analisadas segundo os níveis de conservação e segurança. Os critérios respeitados seguem referências técnicas consagradas pelo setor. Objetivamente, são avaliados, por exemplo, as condições da superfície do asfalto, o número e a legibilidade das placas e a visibilidade das faixas pintadas nas pistas.

 Em 2015, foram analisados 1.199 quilômetros da BR-040, entre Brasília (DF) e o Rio de Janeiro. O trecho gerido pela Via 040, de 936,8 km (Brasília/Juiz de Fora), corresponde a 78% do segmento estudado. O trabalho avaliou um percurso 19 quilômetros maior na comparação com 2014, quando foram percorridos 1.180 quilômetros.

MAIS SEGURANÇA

 Aos números da pesquisa da CNT soma-se a melhoria nas condições de segurança BR-040, que apresentou redução de 27% no número de acidentes desde que a Via 040iniciou a operação viária na BR-040.

 Entre 22 de outubro de 2014 e 30 de setembro de 2015, foram registrados 3.756 acidentes no trecho da BR-040 sob concessão. Entre outubro de 2013 e setembro de 2014, ocorreram 5.151 acidentes. Os dados são da Polícia Rodoviária Federal (PRF).

 Os acidentes que causaram vítimas fatais também apresentaram sensível diminuição. Foram registradas 183 ocorrências entre outubro de 2014 e setembro de 2015, índice 11% menor do que o verificado no período anterior, que foi de 205.



AÇÕES

 Desde abril de 2014, quando a Via 040 assumiu a gestão do trecho de 936,8 quilômetros da rodovia, entre Brasília (DF) e Juiz de Fora (MG), uma série de trabalhos está em execução, como obras de duplicação, recuperação e serviços de conservação. Desde outubro de 2014, a rodovia oferece serviços, como socorro mecânico e atendimento médico de emergência, que funcionam 24 horas por dia, sete dias por semana.

 Usuários da BR-040 já trafegam pelas novas pistas duplicadas no trecho entre Luziânia e Cristalina, em Goiás, e João Pinheiro, em Minas Gerais. A previsão é de que, até 2019, todos os 936,8 quilômetros sob concessão estejam duplicados. O andamento das obras de duplicação refletirá diretamente na evolução da geometria da rodovia, uma vez que o projeto de modernização prevê mudanças em trechos estratégicos.

 Além da entrega da primeira fase da duplicação, a Via 040 promoveu diversas melhorias na rodovia, tais como:

Recuperação de 714 quilômetros de pavimento;
Revitalização de 171 pontes e viadutos;
Instalação de 12.570 placas de sinalização;
Restauração de 4.872 quilômetros lineares de sinalização horizontal;
Instalação de 296,9 mil tachas refletivas (olhos de gato) na rodovia;
Implantação de 130,5 mil metros de defensas metálicas nas margens e canteiros centrais das pistas;
Construção de 3,3 mil metros de barreiras rígidas;
Ativação de 10 painéis de mensagens variáveis;
Reforço do sistema de fiscalização eletrônica com a instalação de 20 novos radares;
Recolhimento de volume de resíduos na rodovia equivalente a 3.142 caminhões;
Execução de 5.323,75 quilômetros lineares de manutenção vegetal, incluindo capina, roçada, poda e aceiros.
Limpeza completa do sistema de drenagem, incluindo 740 bueiros e 525,5 mil metrosde meio-fio, sarjetas e valetas;

 Os trabalhos de recuperação, manutenção e conservação da rodovia, que envolvem, por exemplo, oferecer um pavimento de qualidade, livre de imperfeições, e um sistema de sinalização eficiente e renovado, são executados de forma permanente, em todo o trecho sob concessão.

 Todas as edições da “Pesquisa CNT de Rodovias” estão disponíveis no sitewww.pesquisarodovias.cnt.org.br.
Tecnologia do Blogger.