Header Ads

Main

Pedágio fica 33% mais caro a partir desta terça-feira na BR-050



Texto de Vinícius Lemos para o Correio de Uberlândia.

 O valor do pedágio na rodovia BR-050, no trecho administrado pela MGO Rodovias, fica 33% mais caro a partir desta terça-feira (12) para todos os tipos de veículos. O valor está acima da inflação, que fechou 2015 em 10,67%. Segundo a concessionária, o reajuste autorizado pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) é temporário e foi para recomposição de perdas com a Lei dos Caminhoneiros.




 O valor da tarifa para quem vai de Uberlândia para Araguari de carro, por exemplo, subiu de R$ 3 para R$ 4. O mesmo veículo, se dirigindo a Uberaba, vai pagar um valor de R$ 5,70 entre os dois Municípios. Antes era cobrado R$ 4,30.

 O índice médio de 33% de reajuste, segundo o assessor de comunicação da MGO Rodovias, Sérgio Luccas, está ligado às perdas apontadas pelas concessionárias com a mudança na cobrança de eixos nas rodovias privatizadas. Em vigor desde abril de 2014, a chamada Lei dos Caminhoneiros impõe que se o caminhão estiver vazio e com um dos eixos suspensos, ele não pode ser tarifado. “O reajuste é para revisão do desequilíbrio que houve com a alteração nos contratos (devido à Lei) e o impacto nos custos”, disse Luccas.

 As alterações dos valores dos pedágios acontecem em todo o País e, especificamente na BR-050, no trecho entre Ipameri (GO) e Delta (MG), no qual Uberlândia está inserida, se referem ao período entre 12 de janeiro e 12 de abril.

 O reajuste de 33% vence em 12 de abril, por ser considerado apenas de recomposição de perdas. Nessa data, os pedágios voltarão aos valores originais, praticados até o dia 11 de janeiro, e sofrerão outro tipo de reajuste, levando em consideração a inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) no período de um ano. O que se espera ser um índice menor que o aplicado hoje. O reajuste de abril é anual e previsto em contrato.

Trabalhadora admite deixar o carro em casa

 A servidora da Prefeitura de Uberlândia Raíssa Rodrigues Alves Cury, que mora em Araguari, cogitou em 2016 reduzir os gastos com pedágios e não ir mais de carro para o trabalho. O que ela poderá decidir fazer já, ao menos até 12 de abril, período em que será válido o aumento temporário de 33% no valor da tarifa para recomposição de perdas com a Lei dos Caminhoneiros.

 Antes do reajuste, Raíssa Cury gastava, pelo menos, R$ 120 com pedágios. Agora, vai gastar R$ 160 no deslocamento apenas do trabalho. “Já pensei em vir de van ou ônibus para Uberlândia. É assustador um aumento de R$ 33%”, afirmou. Ela disse ainda que tem dificuldade de conseguir um valor em conta, já que o transporte coletivo também teve aumentos por causa de outros reajustes recentes, como o dos combustíveis.

Veja como ficarão as tarifas de pedágio:

Arte-CORREIO


Tecnologia do Blogger.