Publicidade

Slider[Style1]

Style2

Style3[OneLeft]

Style3[OneRight]

Style4

Style5

Style6[OneLeft]

Style6[OneRight]

Foto: Denerlei Antonioli / Não reproduza sem autorização


Texto de Érico Pimenta – Editor Chefe do Midia Truck Brasil.

Transporte rodoviário de cargas no Brasil sofre com baixa no frete e aumento do combustível.

  Recentemente, começou a circular pela imprensa especializada em transporte e logística a nova ideia da CargoX, que foi apelidada de “Uber dos caminhoneiros”. A principal ideia do aplicativo é de baratear em até 30% o valor do frete, mas isso não é uma ideia muito apropriada para o atual cenário e pode até mesmo em um caso mais extremo acabar com os autônomos.



 Para baratear o valor do frete, a empresa usaria tecnologia e big data para melhorar o aproveitamento das viagens, o que por um lado é uma boa ideia, mas essa ideia de usar tecnologia para melhorar o aproveitamento da viagem já existe e elas são embarcadas nos próprios caminhões. A Volvo por exemplo tem o sistema DynaFleet, que é um avançado sistema de gerenciamento de frota, além de que no próprio sistema, o motorista pode conferir dados sobre como ele está dirigindo e em quais pontos ele pode melhorar e gerar mais economia de combustível.

 As montadoras de caminhões e fabricantes de implementos vem ao longo dos anos apresentando soluções para reduzir o valor do custo operacional, e nenhuma dessas soluções que já foram apresentadas eram a de baratear o frete, pelo contrário, as montadoras apresentam caminhões mais eficiente e mais econômicos e já as fabricantes de implementos apresentam implementos mais leves é com uma maior capacidade de carga.

 Outro fator que mostra que a ideia do CargoX não é apropriada é que o setor de transporte em 2015 realizou 3 grandes greves contra o atual cenário do transporte, onde entre as suas reivindicações era a tabela do frete mínimo, para que o caminhoneiro tenha garantia de fretes justos e apropriados, além da redução do valor do diesel que representa até 50% do valor total do custo operacional. Além disso, o Brasil não é conhecido como o país que tem a melhor infraestrutura rodoviária, pelo contrário, a nossa péssima malha rodoviária causa grande impacto na economia de combustível nos caminhões em si, além de buracos que não causa só um pneu estourado, que por si só já tem um custo elevado no mercado, onde um pneu tem um valor inicial de R$1.500,00, mas também quebras mecânicas graves, o que faz o motorista perder tempo e dinheiro. Além do valor baixo do frete e o valor alto do óleo diesel, o Brasil tem pedágios com valores altos, o que impacta no custo operacional.

 Segundo Miguel Mendes - Diretor executivo da Associação dos Transportadores de Cargas do Mato Grosso (ATC), em entrevista para o Olhar Direto ele mencionou que acredita que em um primeiro momento a redução de até 30% do frete dito pela CargoX pode chegar a tal patamar em decorrência " drástica redução na oferta de cargas e à grande oferta de caminhões no mercado".



 Ainda comentou: "Mas aí, aparece uma "Transportadora" que não tem caminhões, oferecendo aos embarcadores brasileiros uma redução nas tarifas de fretes no País em torno de 30%, e se isto realmente acontecer chegaremos ao fundo do poço, pois atualmente no segmento de transporte rodoviário de cargas não existe margem para este percentual de redução, a não ser que esta empresa se utilize da informalidade e da sonegação de impostos".

 O setor de transporte está em decadência á anos, é uma ideia de baratear o valor do frete não é nada apropriada, nem para o grande transportador que também sofre com as baixas do frete e muitas tem fechado, e nem para o caminhoneiro autônomo que muitas vezes sofre para fazer fretes com algum lucro, sem contar que boa parte dos caminhoneiros tem dividas no qual existe até uma MP (Medida provisória) no congresso nacional referente a dívida dos caminhoneiros e produtores rurais que visa ajudar os caminhoneiro a quitar essas dívidas.    

 Com tantos problemas em um setor fadado a falência, baratear algo que já é escasso, como o valor do frete, não ajuda os caminhoneiros nem o autônomo, por mais que o aplicativo diga que o caminhoneiro não perderia com essa redução. 



«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Deixe seu comentário


Top