Header Ads

Main

Scania apresenta a nova série P com novidades em segurança.



 Modelo agora conta com freio estacionário eletrônico.

 Texto de Érico Pimenta. Editor-Chefe do Midia Truck Brasil com informações da Scania Group AB.

 Com o lançamento da série XT, a Scania apresentou também a cabine P, fazendo assim a nova geração de caminhões Scania chamada de NextGEN ter 5 classes diferentes, P, G, R, S e a XT que pode incorporar ambas as classes.

 De acordo com a Scania, nem todas as variações de cabine da série P foram lançadas agora, mas quando estiver completo, clientes vão poder escolher entre 8 tipos diferentes de cabine.

 Para a primeira fase desse lançamento, 6 tipos de variantes estarão disponíveis para a nova série P, que vai deste a CP14L com teto baixo até a CP20H versão Highline que é dedicada a operadores que procuram por mais conforto.  



 “É claro que não existe a mesma procura para todas as versões, mas para nós na Scania é uma questão de credibilidade poder oferecer também a variante certa para aplicações e requisitos que não são tão comuns", diz Lampinen. "Toda a filosofia da Scania de poder sempre oferecer a melhor economia operacional total, graças a soluções personalizadas para todas as aplicações, baseia-se na diversidade e no benefício para o cliente que é proporcionado pelo sistema modular."

 A série P na Europa destina-se essencialmente a clientes que raramente passam a noite nos seus veículos, mas que sobem e descem frequentemente do caminhão. Exemplos disto são as aplicações de distribuição regional ou municipal e, claro, diferentes tipos de operações associadas à construção. Os confortáveis degraus de acesso à cabina e o facto de estar mais ao nível dos outros utilizadores da estrada é um dos benefícios óbvios.



Os 6 tipos de cabines oferecidas para a série P.

 Uma nova cabina P com um teto baixo tem a mesma altura do teto que uma cabina P da geração PGR (o que, como é óbvio, apresenta dimensões exteriores compactas, pelo que é muito conveniente em ambientes onde o espaço livre acima da cabina é limitado), enquanto uma cabina CP17N ou CP20N tem mais 10 centímetros de altura interior do que as versões anteriores. O facto de todas as cabinas da nova geração Scania serem um pouco mais compridas (a CP17 em relação à CP16, por exemplo) está associado à característica de os espaços interiores terem aumentado em comprimento.


Freio estacionário eletrônico.

 A Scania apresenta agora também, pela primeira vez, uma opção de Freio estacionária eletrônico. A sua atual localização é a mesma, ligeiramente à direita do painel à frente do condutor, mas o controlo é semelhante ao que está disponível nos modernos automóveis ligeiros de passageiros (embora esteja dimensionado para um camião). O controlo é sensível à pressão, o que significa que pode ser acionado gradualmente.

 Uma vez que o freio estacionário é controlado eletricamente, pode também ser equipado com novas funcionalidades. Um exemplo é que é automaticamente acionado se a velocidade for baixa e o condutor desapertar o cinto de segurança ou se a porta for aberta – uma função de segurança inteligente que garante que os condutores “stressados” nunca terão de passar pelo terror de verem o seu camião estacionado começar a mover-se. Esta é uma função que foi solicitada pelos principais compradores do sector dos transportes, essencialmente no segmento da distribuição.



 A funcionalidade de retenção em pendente também foi melhorada. Quando a posição de retenção automática do travão de estacionamento elétrico está ativada, não existe limite de tempo durante o qual o veículo será retido. Também é automaticamente acionado quando o caminhão para consecutivamente, como nas filas de trânsito, por exemplo. Se o veículo estiver parado durante um pouco mais de tempo, passa automaticamente da retenção automática (que utiliza os travões de serviço, quando um símbolo do freio estacionário verde é apresentado) para o freio estacionário (que utiliza os travões de mola e apresenta o símbolo do freio estacionário vermelho habitual).


 Um aspeto importante de todos os tipos de sistemas de assistência ao condutor é que não devem causar nenhum incómodo desnecessário. Os engenheiros da Scania prestaram, por isso, uma atenção especial (depois de estudar cuidadosamente as marcas de automóveis de passageiros, como a VW e a Audi) aos fatores como o arranque, que deve ser o mais suave possível, independentemente do freio estacionário ou da função de retenção automática ser desengatada quando o motorista, com uma velocidade engrenada e o motor em funcionamento, o solicitar premindo o pedal do acelerador. Se o veículo tiver sido estacionado com o travão de estacionamento ativado, é desengatado (desde que todos os critérios de ativação, como o cinto de segurança, estejam satisfeitos) e o camião muda automaticamente para a retenção automática para arrancar suavemente.


Tecnologia do Blogger.