Header Ads

Main

MP dos preços mínimos para fretes no transporte de cargas gera polêmica em comissão


 As comissões mistas para analisar as três medidas provisórias do pacote para pôr fim à greve dos caminhoneiros foram instaladas nesta quarta-feira

(Agência Câmara NotíciasParlamentares querem ampliar a discussão sobre a Medida Provisória 832/18, que estabelece uma tabela de preços mínimos para os fretes dos transportes de carga.

Integrantes da comissão mista que vai analisar a proposta pretendem ouvir sugestões de caminhoneiros autônomos, empresas transportadoras, representantes do agronegócio e até mesmo governadores, entre outros atores políticos diretamente interessados no assunto.

 A MP faz parte do pacote do governo negociado com caminheiros para pôr fim à greve nacional de dez dias ocorrida em maio. A paralisação provocou desabastecimento em muitos setores da economia do país e prejuízos estimados em mais de R$ 100 bilhões.

 A comissão foi instalada nesta quarta-feira (6) e os debates iniciais mostram as dificuldades da negociação. Escolhido relator da proposta, o deputado Osmar Terra (MDB-RS) afirma que os caminhoneiros autônomos são o elo mais fraco da cadeia de transportes de cargas no País. Ele lembra que a MP 832/18 já tem força de lei, mas prevê debates intensos sobre o assunto até a sua aprovação final.

 "Eu acho que nós vamos ter que fazer aí pelo menos três ou quatro grandes audiências públicas para ouvir todos os setores com atenção, em especial o agronegócio, grande responsável pelo progresso do País e pela recuperação do PIB brasileiro. Todos têm de ser considerados, inclusive o motorista autônomo", sugeriu.


Preços combustíveis

 Em nome da liderança do PT, o deputado Henrique Fontana (RS) criticou a dolarização dos preços dos combustíveis no Brasil e defendeu a regulação do setor.

 "Tem que haver regulação no mercado de frete brasileiro e isso causa urticária em alguns liberais fundamentalistas. Se a gente sabe quanto custa o diesel, o pedágio, a remuneração do motorista e quantas horas ele tem que trabalhar, como é que nós não vamos determinar um valor mínimo que garanta a viabilidade para essa atividade?", indagou.

 O vice-presidente da comissão mista da MP 832/18, deputado Darcísio Perondi (MDB-RS) foi ainda mais enfático e classificou a exploração dos profissionais de “escravidão”. "As grandes transportadoras, que eu as respeito, são exploradoras do capital humano que se chama caminhoneiro."

 Ainda não foram designados o presidente e o relator revisor da comissão mista da MP 832/18. A próxima reunião do colegiado será na quinta-feira (14), quando o relator, deputado Osmar Terra, apresentará o plano de trabalho e serão votados os primeiros requerimentos para audiências públicas.




Lei do Caminhoneiro

 Também foi instalada a comissão mista para análise da Medida Provisória 833/18, que altera a Lei do Caminhoneiro (Lei 13.103/15) para estender para as rodovias estaduais, distritais e municipais a dispensa de pagamento de pedágio do eixo suspenso de caminhões (caminhões vazios), uma das principais reivindicações dos grevistas.

 Presidente do colegiado, o deputado Sandro Alex (PSD-PR) prevê resistência dos estados e municípios para manter a cobrança dos pedágios, a exemplo do que ocorreu durante a discussão da Lei do Caminhoneiro.

 "Na minha opinião, é uma cobrança indevida. Estão cobrando por algo que não gera nenhuma deterioração no pavimento. É um pleito legítimo dos caminhoneiros e um dos pontos principais da negociação para o fim da greve, porque não é um benefício temporário, como o desconto por 60 dias no diesel. É algo que não se cobrará mais”, destacou.
O senador José Agripino (DEM-RN) será o relator da proposta.

Conab

 O presidente da comissão mista para análise da Medida Provisória 831/18 será o deputado Aélton de Freitas (PR-MG). A MP reserva 30% do frete contratado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) para cooperativas de transporte autônomo, sindicatos e associações de autônomos. Os transportadores serão contratados sem licitação.

 O vice-presidente do colegiado será o senador Benedito de Lira (PP-AL) e o relator será o senador Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE). O relator revisor será o deputado Pedro Fernandes (PTB-MA).

ÍNTEGRA DA PROPOSTA:

Reportagem - Newton Araújo Edição - Geórgia Moraes



Tecnologia do Blogger.