Header Ads

Main

Líder da greve dos caminhoneiros afirma que não houve acordo com governo e mantém paralisações



Esta matéria é um oferecimento de Portal Transporta Brasil com Texto de Victor José 

 Segundo Ivar luiz Schmidt, do Comando Nacional do Transporte, governo teria vazado uma falsa notícia

 Após ser veiculado em diversas mídias que o governo federal teria chegado a um acordo com os caminhoneiros nas reuniões ocorridas na quarta-feira (25/2), em Brasília (DF), o chamado Comando Nacional do Transporte, uma das organizações que coordenam os protestos nas rodovias do Brasil, divulgou um vídeo nas redes sociais desmentindo a afirmativa.

 No vídeo, o líder Ivar luiz Schmidt diz que os caminhoneiros foram enganados. Enquanto eles estavam em reunião no Palácio do Planalto, o governo teria vazado uma falsa notícia de acordo para o Jornal Nacional.

 Confira o vídeo neste link.

 No site do Ministério dos Transportes, foi publicado nesta quinta-feira (26/2) que o governo teria se comprometido a sancionar, sem vetos, a Lei do Motorista em troca dos desbloqueios nas rodovias. Quem afirmou a decisão foi o ministro da Secretaria Geral da Presidência, Miguel Rossetto, que deu coletiva após reunião com a categoria.

 Como parte do acordo proposto pelo governo, também foi estabelecida uma carência de 12 meses para todos os financiamentos do BNDES Finame e Programa BNDES de Financiamento a Caminhoneiros (BNDES Pro-caminhoneiro). Isso significa a prorrogação dos pagamentos para os financiamentos novos e antigos durante um ano. Segundo ele, as medidas terão efeito imediato assim que os bloqueios forem levantados. Rossetto acrescentou que a Petrobras garantiu que não haverá aumentos do diesel nos próximos seis meses, porém não cogitou redução do preço do combustível, como solicitado.

Acesse Portal Transporta Brasil ( http://www.transportabrasil.com.br/ ) 
Tecnologia do Blogger.