Header Ads

Main

PF, Polícia Militar e MP deflagram operação contra roubos de cargas



Via G1

 Foram presas 15 pessoas e batalhão da Polícia Militar também participa. Ação ocorre em Campinas, Jundiaí e outros municípios paulistas.

 A Polícia Federal e o Ministério Público realizam nesta quinta-feira (21) uma operação contra roubos de cargas no interior paulista. A força-tarefa efetuou 15 prisões nas cidades de Campinas (SP), Várzea Paulista (SP), Jundiaí (SP), Porto Ferreira (SP) e Jarinu (SP). Os suspeitos completam a lista de 24 mandados de prisão que já vinham sendo cumpridos pela operação desde fevereiro. O Batalhão de Operações Especiais (Baep) da Polícia Militar e a Polícia Rodoviária deram apoio.

 De acordo com o delegado Jessé Coelho de Almeida, responsável pela comunicação social da PF de Campinas, a quadrilha era responsável por roubos nas rodovias que cruzam as cidades de Campinas, Jundiaí, São Carlos (SP), Rio Claro (SP), Atibaia (SP), Louveira(SP), São Roque (SP) e Boituva (SP). Algumas cargas eram de transporte interestadual. Os alvos principais seriam carregamentos de carne, café e chocolates.

 As prisões fazem parte da "Operação Jammer", nome do bloqueador de sinal dos rastreadores, que teve início em fevereiro deste ano. Ao todo, foram cumpridos 24 mandados de prisão e 20 de busca e apreensão referentes a uma única quadrilha; 80 policiais federais e 200 policiais militares participaram das investigações.

 "O primeiro sinal de sucesso da operação é que os 24 membros que identificamos foram presos. Atingimos o objetivo de 100%. A operação foi bem rápida. Nós conseguimos desmontar essa organização, a gerência desse grupo com certeza está entre os presos", afirma o delegado.
Mapa feito pela Polícia Federal mostra área de atuação da quadrilha presa na operação de Campinas (Foto: Divulgação / Polícia Federal)Mapa da PF mostra área de atuação da quadrilha presa na operação(Foto: Divulgação / Polícia Federal)

 Segundo Almeida, podem aparecer outros membros a partir dos que foram presos e do que foi apreendido nesta quinta. "As investigações vão continuar para fortalecer as provas que já existem e eventualmente identificar outros envolvidos", explica.

15 Prisões

 As prisões desta quinta começaram durante a madrugada e todos os detidos foram encaminhados para a sede da Polícia Federal em Campinas, onde prestaram depoimento e, em seguida, serão levados para a cadeia anexa ao 2º DP da cidade.

 De acordo com a PF, com eles foram localizados veículos, armas, pelo menos R$ 100 mil em cheques com um dos suspeitos e uma pequena fábrica de placas usada para adulterar caminhões. Os materiais usados pelos criminosos para fazer as falsificações foram apreendidos.

9 Prisões anteriores

 De acordo com a Polícia Federal, das 24 prisões, nove suspeitos de participação nestas ações voltadas para cargas de alimentos já haviam sido presos anteriormente.

 Desde fevereiro foram 10 ocorrências envolvendo roubos de cargas. Cinco delas foram flagrantes, que correspondem aos nove presos. Desde então, eles estavam com prisão preventiva decretada e nesta quinta, como resultado da operação que identificou a ação criminosa, também estão sendo presos por formação de quadrilha, segundo Almeida.

 "Todos os 24 fazem parte de uma mesma quadrilha, como se fosse uma empresa. Além dos que roubavam e recebiam a carga, tem pessoas que cuidavam da carga, outros que comercializavam os produtos e mantinham empresas de fachada, empregados de transportadoras e motoristas de caminhão", conta o delegado.

17 toneladas de carne em abril

 A Polícia Rodoviária apreendeu 17 toneladas de carnes ao desvendar um esquema que envolve roubo de carga e comércio ilegal na região de Campinas em 8 de abril. Dois caminhões, que faziam o transporte sem a refrigeração adequada, foram apreendidos na Rodovia dos Bandeirantes (SP-348) e um galpão com mais carnes roubadas foi localizado.

 De acordo com a Polícia Rodoviária, a quadrilha atuava há anos nessas condições e os responsáveis pela carga disseram que iam abrir um açougue para comercializar as carnes em cidades como Hortolândia (SP) e Campinas. Os criminosos ainda tentaram subornar os policiais com R$ 40 mil. Quatro pessoas foram presas em flagrante e indiciadas por corrupção ativa, formação de quadrilha e receptação.

Aeroporto e rodovias importantes

 Um aeroporto que recebe 10 mil toneladas de cargas importadas por mês - em média, uma cidade com a maior concentração de empresas de tecnologia do interior de São Paulo, que exportam e importam aparelhos eletrônicos, e o cruzamento das principais vias rodoviárias do estado renderam a Campinas não só um recorde econômico, mas criminoso.

 Nas últimas duas semanas foi registrado um roubo de carga a cada três dias. Nos dois últimos, os alvos foram caminhões que transportavam aparelhos eletrônicos cujo valor, somado, é de R$ 1,2 milhão. Um deles havia acabado de sair do Aeroporto Internacional de Viracopos na noite de quinta-feira (14) quando foi abordado na Rodovia Anhanguera (SP-330) e teve levada a carga de componentes eletrônicos avaliada em R$ 800 mil.

 Campinas registrou aumento de 41% no número de roubo de cargas no mês de março em comparação com fevereiro deste ano, de acordo com a Secretaria de Segurança Pública, que ainda não divulgou os números de abril e maio.
Tecnologia do Blogger.