Header Ads

Main

Scania reforça oferta sustentável e menor custo operacional para o cliente


Ferramenta calcula, com base em objetivos, tipo de transporte e condições locais, quanto custaria determinada redução de CO2; investimentos podem ser inferiores ao esperado ou até próximos de zero

 "A redução do consumo de combustível e os baixos custos operacionais sempre foram o ponto central para a Scania", diz Magnus Höglund, responsável por combustíveis alternativos e trens de força na Scania Trucks. "Hoje a diferença é que nós e nossos clientes valorizamos igualmente a forma como a economia no consumo e os combustíveis alternativos mitigam as emissões de CO2. O Euro 6 prova isso. Estamos em marcha estável rumo à próxima grande batalha para a indústria do transporte – atingir metas climáticas de longo alcance.”

 Um ponto comum de insegurança dos clientes na hora de optar por uma solução sustentável é a dificuldade para avaliar quais serão os custos adicionais do investimento. A partir disso, a Scania desenvolveu uma ferramenta capaz de fornecer cálculos aos clientes baseados em seus próprios objetivos relativos ao CO2, em combinação com as alternativas disponíveis para eles em sua região, e levando em consideração suas aplicações. “Com o CO2MPOSER, é possível enxergar quanto determinada redução custaria, e o surpreendente é que, muitas vezes, a resposta é que os custos adicionais são muito inferiores ao esperado – ou até próximos de zero."

 Höglund relata o caso de uma distribuidora de laticínios na Suécia que havia determinado chegar a 90% de redução nas emissões de CO2 com a ajuda de motores a etanol ED95. "Foi uma meta muito rigorosa, mas totalmente alcançável se você utilizar, como eles fizeram, o bioetanol de alta tecnologia com base de trigo que nosso parceiro Lantmännen Agroethanol produz na planta Norrköping. Esse exemplo demonstrou que os custos adicionais ficaram em cerca de 1 milésimo de euro por caixa de leite transportada, em comparação a caminhões modernos a diesel, apesar da enorme redução de CO2.”

 A Scania dedica esforço e investimentos significativos a toda uma linha de combustíveis alternativos e renováveis. Além de definir altos níveis de ambição, também se trata de desenvolver a mentalidade de que não existe solução mágica e mercados diferentes exigem soluções alternativas, principalmente por causa das variações na preparação da infraestrutura e na tributação. Qualquer OEM que deseje oferecer soluções otimizadas para todos os tipos de clientes deve estar preparado – como a Scania está – para trabalhar em uma frente ampla.

 Seleção mais ampla – Os clientes que desejam reduzir a emissões de CO2 precisam lidar com muitos fatores. Certos biocombustíveis simplesmente não estão disponíveis em todo lugar; também pode acontecer de alguns tipos de transporte exigirem determinado tamanho de motor para realizar o trabalho de maneira racional. E, naturalmente, sempre existem as considerações financeiras - se as alternativas são caras, ninguém vai querer.

 A solução da Scania para esse problema é oferecer a mais ampla linha de veículos nos padrões Euro 6 entre todos os fabricantes. Nos últimos dois anos, por exemplo, a Scania produziu cinco motores a biodiesel, desde um propulsor de 9 litros e 320 hp até um de 16 litros com 580 hp e capacidade para as tarefas mais árduas. Eles podem ser movidos 100% a biodiesel ou a biodiesel misturado com diesel comum, dependendo da disponibilidade. A Scania também conseguiu aprovação para a utilização do biodiesel HVO (óleo vegetal hidrotratado) nos motores padrão Euro 5 e Euro 6.

 Quando se trata de motores movidos a gás para o padrão Euro 6, a Scania entrou logo cedo no mercado. Na feira IAA de 2012 - três anos antes de a legislação entrar em vigor – a Scania apresentou seu motor a gás padrão Euro 6 com dois níveis de potência. Ele pode ser movido a gás natural ou biogás, CNG ou LNG, e apresenta as características de desempenho de um motor a diesel com alta eficiência e baixo consumo de combustível.


 "O mercado do motor a gás está a todo vapor", afirma Höglund. "Com o LNG ou LBG – biogás liquefeito - mais tipos de caminhão para transporte de longo percurso também podem ser operados a gás. Os ganhos ambientais variam, obviamente, dependendo de que tipo de gás é utilizado, mas sempre são superiores aos do diesel e, na melhor das hipóteses, no caso do biogás, podem acarretar redução de 90% na emissão de CO2.”

 "Com o Scania CO2MPOSER, temos uma ferramenta adicional em nosso kit e podemos ajudar os clientes a desenvolver soluções com precisão ainda maior, cumprindo suas metas de sustentabilidade e rentabilidade", diz Höglund. "Atingir metas climáticas de longo alcance requer veículos mais eficientes, transportes mais inteligentes e combustíveis renováveis."
Tecnologia do Blogger.