Header Ads

Main

Entidades de caminhoneiros descartam greve é dizem que não deve aderir à greve dos tanqueiros



Por outro lado, alguns órgãos afirma que pode haver mobilização devido às decisões do governo

Texto de Érico Pimenta. Editor-Chefe do Midia Truck Brasil

 Deste que a Petrobras anunciou o reajuste no valor do diesel, muitos vem a possibilidade de uma nova greve dos caminhoneiros. A SindTanque, sindicato que representa os caminhões que transportam os combustíveis derivados do petróleo fez um comunicado alertando a possibilidade de paralisação dos mesmo.

Demos um prazo de 24 horas para que as distribuidoras apresentem um posicionamento oficial, dizendo que não vão repassar o aumento do diesel. Se a reposta não nos for favorável, paramos com tudo na mesma hora”, afirma Irani Gomes, Presidente do SindTanque.

 Ainda na tarde deste domingo (02), a SindTanque alertou novamente para a possibilidade de greve.

  A UDC (União dos Caminhoneiros do Brasil) começou a convocar por meio das redes sociais caminhoneiros para uma paralisação no dia 09, porém, a UDC não foi reconhecida por demais entidades como a Abcam (Associação Brasileira dos Caminhoneiros), que foi a principal liderança da greve de maio, e nem por demais sindicatos de diversas regiões do País.





 Já a ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestre) informou que vai ajustar a tabela de preços de fretes mínimos devido à alta recente de 13% no valor do diesel nas refinarias. Nesta segunda-feira (3) técnicos da agencia se reúnem com o ministro do Transportes, Valter Casimiro Silveira, para definir a calibragem do reajuste.

 Um dos principais líderes da greve dos caminhoneiros realizada em maio, Wallace Landim, conhecido como Chorão, descartou a possibilidade de nova paralisação os caminhoneiros nesta semana, rebatendo os rumores que surgiram neste final de semana. Chorão ainda comenta que a próxima manifestação da categoria está convocada para o dia 12 de setembro, quando os caminhoneiros devem fazer um protesto em frete à a ANTT em Brasília DF.

 Para Eurico Tadeu Ribeiro dos Santos, Presidente do Sindicam-PA, “oportunistas” estão usando o nome da categoria. Segundo ele, não há neste momento perspectiva de greve semelhante à ocorrida em maio. “O governo fez a parte dele, criou todas as condições, criou a tabela do frete”.



Tecnologia do Blogger.