Header Ads

Main

No Dia Nacional do Transportador Rodoviário de Cargas a Continental alerta para a importância da gestão dos pneus das frotas




 Pneus de caminhões devem ser inspecionados periodicamente para maximizar a sua durabilidade

 Cerca de 70% da carga transportada pelo Brasil é movimentada pelas rodovias* (1,064 bilhão de toneladas por quilômetro). Por isso, a Continental, maior fabricante de pneus da Alemanha e integrante de um dos maiores grupos sistemistas do mundo, aproveita o Dia Nacional do Transportador Rodoviário de Cargas para relembrar a importância da realização da gestão dos pneus.

 Os pneus representam um grande custo para as frotas, por isso devem ser monitorados de perto. Cada pneu deve receber um número único para identificação (marcação a fogo) e seu histórico deve ser registrado. É importante contabilizar os gastos com aquisição, reparações e reformas, além de medir a quilometragem atingida em cada vida do pneu para calcular seu CpK (custo por quilômetro).

 Quando o veículo retorna ao pátio, é importante inspecionar os pneus para evitar danos que possam inutilizá-lo. Além disso, realizar o rodízio periódico ajuda a melhorar o rendimento do conjunto, ampliando a sua vida útil.





 “O desgaste na banda de rodagem dos pneus no caminhão ocorre de forma irregular e, para maximizar sua durabilidade, é importante alternar a configuração entre os eixos com alguma regularidade. Vale lembrar outro ponto importante: o consumo de combustível também é maior em caminhões rodando com pneus com desgaste irregular. Portanto, realizar o rodízio significa também reduzir custos”, explica Rafael Astolfi, gerente de assistência técnica da Continental Pneus.
  
 Além disso, o rodízio dos pneus assegura que o veículo tenha mais estabilidade, especialmente em curvas e freadas, contribuindo para a segurança do condutor e de todos ao seu redor. Para mais dicas sobre manutenção de pneus visite o Calibrada, canal da Continental Pneus no Youtube: https://goo.gl/VMoHv7 

Via Continental



Tecnologia do Blogger.