Header Ads

Volvo vai demitir 700 funcionários em sua fábrica nos Estados Unidos

Produção de caminhões em New River Valley no estado da Virginia - Foto Volvo Trucks North America
Demissões são em decorrência da queda do setor nos EUA

Texto de Érico Rafael Pimenta. Editor-chefe do Midia Truck Brasil

 A Volvo Trucks North America (Volvo Caminhões no Estados Unidos) confirmou em meio a nota oficial a imprensa o plano para demitir cerca de 700 colaboradoras em sua planta em New River Valley no estado americano de Virgínia.

 Em nota, a montadora ainda menciona: “Lamentamos ter que tomar essa ação, mas operamos em um mercado cíclico e, após dois anos de volumes extremamente altos, precisamos nos adaptar à redução da demanda do mercado”.

 A Volvo Trucks divulgou em junho um investimento de US$ 400 milhões de dólares na Virgínia.




 A montadora ainda espera que o mercado total de caminhões na América do Norte tenha uma redução de 30% ou cerca de 100.000 mil caminhões em 2020. Essa redução atinge a Volvo por atuar principalmente no segmento de longa distância, ou caminhões de classe 8 como são conhecidos.

 A planta de New River Valley é responsável pela produção de todos os caminhões Volvo vendidos na América do Norte. As demissões devem iniciar na semana de 20 de janeiro. A planta atualmente conta com 3.300 colaboradores.

Outras montadoras também fazem cortes

 A Mack Trucks, marca pertencente a Volvo não demitiu, porém teve que cancelar duas semanas de férias coletivas para compensar a produção perdida durante a greve de 12 dias do UAW em outubro, que deixou 3,5 mil trabalhadores parados.

 A Daimler Trucks North America demitiu 900 trabalhadores em duas fábricas na Carolina do Norte e também no México em outubro devido à queda na demanda.

 A Kenworth Truck Co., marca do grupo PACCAR INC demitiu 100 colaboradores no início de novembro. A sua irmã Peterbilt Motors não realizou nenhuma demissão em massa.

 Por fim, a Navistar International Corp reduziu a produção nas instalações dos EUA e do México em cerca de 15%, revertendo as adições feiras no final de 2018.



Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.