About Me


Caminhoneiros fazem paralisação no porto de Santos em São Paulo

Foto: Solange Freitas/G1
Paralisação é em favor da redução do ICMS dos combustíveis além do tabelamento do frete  

 Caminhoneiros estão nesta segunda feira (17) realizando uma paralisação de 24 horas e estão na entrada do porto, em alguns casos solicitando a outros motoristas para aderir a paralisação. Junto aos caminhoneiros a Policia Militar de São Paulo está acompanhante de perto os atos, e quando um caminhoneiro se recusa a participar do ato, a polícia auxilia o mesmo na entrada do porto.  

 De acordo com o representante do Sindicato dos Transportadores Rodoviários Autônomos de Bens da Baixada Santista e Vale do Ribeira (Sindicam), Alexsandro Viviani, os manifestantes não fazem o bloqueio da entrada do porto apenas conversam com motoristas que chegam nos terminais sobre as reivindicações. 

 Alexsandro afirma que parte dos motoristas deixa de acessar os terminais em apoio ao ato da categoria. "O ato é para mostrarmos que a categoria está unida e que, se não formos atendidos, nossa greve será por tempo indeterminado". 




 A Justiça Federal concedeu, à Santos Port Authority, uma liminar que proibia a manifestação de caminhoneiros no Porto de Santos. A decisão foi do juiz Roberto da Silva Oliveira, que proibiu qualquer manifestação entre os dias 17 e 21 de fevereiro, sob pena de multa diária de R$ 200 mil. 

 Com a medida, os caminhoneiros não podem impedir bloquear os acessos terrestres e marítimos ao Porto de Santos, incluindo as vias de circulação interna do porto e perimetrais, bem como a parte aquaviária e berços de atracação. 

 O juiz ainda destacou que há uma operação previamente agendada, no mesmo período de tempo, para se evitar a proliferação do coronavírus no Porto de Santos. Por isso, não pode haver bloqueios que inviabilizem ou atrapalhem as medidas sanitárias que estão sendo tomadas. 

Texto: Midia Truck Brasil com informações de G1 



Postar um comentário

0 Comentários