About Me


Líder dos caminhoneiros, o Chorão se diz traído pelo Presidente Bolsonaro

Para Wallace Landim, o Chorão, o projeto BR do Mar vai acabar com o caminhoneiro autônomo 


(UOL / Midia Truck Brasil) Wallace Landim, conhecido popularmente como Chorão e presidente da Associação Brasileira de Condutores de Veículos Automotores (Abrava) e um dos apoiadores da campanha do Presidente Jair Bolsonaro se diz arrependido e traído pelo presidente, como mostrou o colunista Chico Alves do portal UOL 


 Ainda segundo o texto do colunista, o motivo do desencanto foi a mobilização do governo pela votação em região de urgência do projeto conhecido como BR do Mar, que amplia o transporte de carga por navio entre os portos brasileiros, a chamada navegação de cabotagem. O projeto foi aprovado na última segunda feira.   





 Nas palavras de Chorão “O Ministério da Infraestrutura não tem um estudo de impacto social e o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) tem uma nota técnica que mostra concentração de mercado. Quem vai fazer a contratação de frete terrestre vai ser o armador e isso prejudica muito os caminhoneiros”. Ainda para Chorão, a matriz dos transportes rodoviários foi entregue para empresários estrangeiros.  

 

 Durante o projeto da Br do Mar, na Câmera houve negociação para a inclusão de duas emendas que amenizariam os efeitos do projeto sobre os motoristas, mas acabou sendo ignorada. Descontente com o descumprimento do acordo por parte do Executivo, o deputado Fausto Pinato (PP-SP) colocou à disposição o cargo de vice-líder do governo.   

 

 Chorão ainda comenta: “A gente fez campanha para o presidente, nós colocamos faixa nos caminhões, pintamos lona, fizemos camiseta, um trabalho gratuito, mas percebemos que tudo o que beneficia os caminhoneiros não tem caráter de urgência, enquanto o que é bom para os grandes empresários tem prioridade”.  

 

 Apesar da visão do Chorão sobre a BR do Mar, já para o Sindicam / Sinditac Ourinhos que incialmente é contra o projeto, mas reforça a importância e benefícios do projeto.  Em uma postagem recente no Facebook, Junior, presidente do Sindicam comenta: “Alguns caminhoneiros me questionaram recentemente sobre a BR do Mar, estavam preocupados, com medo de diminuir o seu trabalho. Disse a Eles: Fiquem tranquilos, quanto mais modal, mais transporte, mais consumo, mais produção. É preciso entender que se aumentarem a cabotagem 40% do que é hoje, significa que os portos terão 40% a mais de cargas transportadas, movimentadas. Me diz, onde que isto é ruim pro caminhoneiro?!” 

 

 Já a Confederação Nacional do Transporte (CNT) apoia o Programa de Estímulo ao Transporte por Cabotagem e acredita no aprimoramento da proposta para garantir a segurança jurídica, evitando que haja interferência nas legislações dos demais modais de transporte. 


Postar um comentário

0 Comentários