About Me


Salários baixos causa falta de motoristas nos Estados Unidos

Relatório da American Transportation Research Institute (ATRI) listou 10 problemas que o setor de transporte nos Estados Unidos 

 

 A falta de motoristas tem sido um problema recorrente há anos em toda a indústria de transporte ao redor do mundo. No Brasil uma recente pesquisa do SETCESP mostrou que 81% das empresas de transporte em São Paulo já sofre com a falta de motoristas. Nos Estados Unidos a falta de motoristas também tem se tornado um problema sério segundo a pesquisa da ARTI (American Transportation Research Institute). 


 A pesquisa que foi divulgada pela ARTI listou 10 problemas que o setor de transportes vem passando nos EUA, em primeiro lugar ficou a falta de motorista seguida pela baixa renumeração de motoristas.   





Pelo quarto ano consecutivo, a falta de motoristas foi o principal problema da indústria em geral, além de liderar a lista de preocupações das transportadoras, destacando os desafios que as transportadoras enfrentam no recrutamento de novos talentos e na manutenção de seus atuais motoristas”, disse ATRI. 


 “Na verdade, a retenção de motoristas foi o segundo problema das transportadoras e o sexto na lista combinada.” 


  O relatório foi discutido na última terça-feira em um painel com especialistas durante a Conferência e Exposição de Gerenciamento da American Trucking Associations 


 Bob Costello, economista-chefe da ATA (American Trucking Associationscomentou que “a falta de motoristas e o que leva isso é um assunto muito complexo, mas que a indústria passa por isso há vários anos”. 


 “O que é interessante é que a falta de motoristas foi suprida em abril e maio e agora está de volta tão ruim quanto antes. Não vai desaparecer tão cedo.” complementa Costello. 


 Já Eric Fuller, presidente e CEO da US Xpress, disse que mais de 40.000 motoristas deixaram o mercado apenas nos últimos seis meses devido a vários motivos. 


 “Esse é um grande déficit que não sei se pode ser preenchido em um curto período de tempo”, complementa Fuller. 


Salários baixos...uma preocupação real e sem solução aparente  


 Em 2005, a ATRI (American Transportation Research Institute), realizou a sua primeira pesquisa para lista os problemas no setor de transportes, nesta época a falta de motoristas já estava no “TOP 10”, e para lidar com esse problema, foi aconselhado um aumento de salários para a classe de motoristas.  


 De 2005 a 2020 a falta de motoristas foi motivada por outras questões, porém a falta de salários compatíveis parece ter ganhado mais destaque. “A primeira vez que a remuneração do motorista apareceu como um problema foi na pesquisa do ano passado, quando ficou em terceiro lugar e hoje ocupa o segundo lugar”, comenta Rebecca Brewster, presidente e COO da ATRI. 


 Já para Costello, as próprias transportadoras sabem que deve melhorar os salários de seus motoristas. “Ainda estou para encontrar uma transportadora que diga que os motoristas não mereçam (melhores salários). Na verdade, eles merecem muito mais. Mas em um setor que funciona com margens tão estreitas, como você paga isso?” questiona Costello 


Confira os 10 principais problemas identificados pela ATRI:  


1. Falta de motorista 


2. Salários baixos 


3. Falta de áreas para pernoite  


4. Conformidade, segurança e responsabilidade 


5. Disponibilidade e custo do seguro 


6. Retenção de motorista  


7. Reforma do delito* 


8. Cenario econômico atual  


9. Retenção de motoristas 


10. Horário de trabalho em geral (carregamento / descarregamento / jornada) 


*Reforma do delito refere-se a mudanças propostas no sistema de justiça civil que visam reduzir a capacidade das vítimas de entrar com ações judiciais ou de reduzir os danos que podem receber. 


 Nos Estados Unidos, a reforma da responsabilidade civil é uma questão política controversa. Os defensores da reforma do ato ilícito nos Estados Unidos propõem, entre outras coisas, limites processuais à capacidade de entrar com ações judiciais e limitar as indenizações por danos. Apoiadores do sistema de responsabilidade civil existente, incluindo defensores do consumidor, argumentam que os reformadores declararam erroneamente a existência de qualquer questão factual real e criticam a reforma da responsabilidade civil como previdência corporativa disfarçada. 


 Ao todo, mais de mil motoristas de caminhão participaram da pesquisa da ATRI e ao todo 3.122 profissionais do setor participaram da pesquisa, sendo um recorde de participação nos últimos 15 anos. 


Texto de Érico Rafael Pimenta 

Editor-chefe do Midia Truck Brasil 


Postar um comentário

0 Comentários