PubliRandon

ConectarAGRO, FALM, e SENAR realizam 2º curso de aperfeiçoamento profissional para trabalhadores no campo

Profissionais de fazenda em MT recebem treinamento focado em agricultura digital

 Buscar aperfeiçoamento e qualificação profissional pode ser um desafio para quem mora e trabalha na zona rural, principalmente porque as oportunidades educacionais são mais restritas. Quando se fala em educação tecnológica, o obstáculo pode ser ainda maior. Por isso, a Fundação André e Lucia Maggi (FALM), a Associação ConectarAGRO e o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural de Mato Grosso (Senar MT) têm contribuído para promover a educação tecnológica por meio da qualificação profissional digital de trabalhadores do campo.

 Durante os meses de agosto e setembro deste ano, 44 operadores de máquina, na região de Campo Novo do Parecis (MT), participaram do curso híbrido “Configuração e Operação no Aplicativo Precision IQ”. A parte teórica foi feita totalmente online e, a prática, realizada na fazenda, juntamente com um instrutor do Senar, instituição que desenvolve a atividade. A ideia é que, após a conclusão do curso, os profissionais, que trabalham nas etapas de adubação, colheita e plantio, consigam aplicar melhor todas as técnicas e tecnologias discutidas durante o ensino.




 O curso faz parte do eixo de aperfeiçoamento profissional de um projeto idealizado pela FALM em parceria com a Associação ConectarAGRO. O objetivo da iniciativa é promover cursos por meio da educação tecnológica acessível, a fim de buscar qualificação profissional digital, focando em melhorias do campo e em tecnologias embarcadas. As formações estão disponíveis a qualquer empresa que desejar ter acesso, além de serem customizados de acordo com as demandas do negócio.

 De acordo com a Analista de Projetos e responsável pelo projeto por parte da FALM, Adriana Caramello, a Fundação tem como missão contribuir com o desenvolvimento local e humano e, por isso, a qualificação e o desenvolvimento de competências técnicas é essencial para gerar impactos positivos nos indivíduos e comunidades onde atuamos. “Esse projeto conseguiu conectar a demanda por conhecimentos em tecnologias embarcadas com setores detentores dessa expertise ofertando um curso híbrido, levando em consideração as adversidades do trabalho no meio rural”.

 Ana Helena de Andrade, presidente da ConectarAGRO, afirma que “esse movimento reforça o propósito da Associação que visa a conexão de máquinas, coisas e pessoas, levando ganhos tanto para os trabalhadores da fazenda, como para a comunidade local. Essa ação está dentro do nosso Projeto Educacional, que visa, além da conectividade -- porta de entrada para as inovações --, a capacitação para o uso mais assertivo das tecnologias. O agro conectado é mais produtivo.”, finaliza a presidente.

 “Para nós é uma satisfação poder contribuir com este trabalho. A missão do Senar-MT é promover o desenvolvimento profissional e social para o meio rural com soluções educacionais inovadoras. Parcerias como esta contribuem para que tenhamos cada vez mais profissionais qualificados para atender as demandas do setor”, disse o presidente do Sistema Famato -- Senar-MT, Normando Corral.

Postagem Anterior Próxima Postagem