Slider[Style1]

Style2

Style3[OneLeft]

Style3[OneRight]

Style4

Style5

Style6[OneLeft]

Style6[OneRight]

Uber quer ter serviços de frete com caminhões autônomos em 2017



Texto de Gustamo Sumares para o Olhar Digital.

 A empresa de caminhões autônomos Otto, que foi comprada pela Uber no mês passado por US$ 680 milhões, anunciou que pretende entrar no serviço de fretes de carga a partir do ano que vem. Segundo a Reuters, ela aumentou sua frota de 6 para 15 caminhões e já está fechando parcerias com caminhoneiros para viabilizar o negócio.

 Em outra frente, a Uber também já está conversando com empresas de carga pra incluir seus caminhões autônomos em sua cadeia logística. A empresa tem a intenção de concorrer com outros serviços de transporte e com os corretores que negociam contratos entre empresas e frotas de caminhões.



 Os caminhões da Otto, embora sejam capazes de dirigir sozinhos, exigem o acompanhamento de um caminhoneiro e de um engenheiro em todas as viagens por enquanto. A empresa, por outro lado, se beneficia dos serviços da Uber nas áreas de navegação, mapeamento das estradas e rastreamento dos veículos (e, consequentemente, de suas cargas). Um vídeo com a tecnologia da Otto pode ser visto abaixo:


Mercado de risco

 Lior Ron, um dos co-fundadores da Otto (que já havia trabalhado no Google Maps) foi quem deu as notícias à Reuters. Segundo ele, "milhares" de caminhoneiros e empresas já entraram em contato com a empresa em busca de parcerias comerciais ou de tecnologia. Inicialmente, os planos da Otto eram de criar um sistema de navegação autônoma que pudesse ser acoplado a qualquer caminhão; com a aquisição pela Uber, contudo, a empresa elevou suas ambições.

 Segundo o The Next Web, a indústria de caminhões movimenta cerca de US$ 700 bilhões por ano, e a Uber pretende se apropriar de uma fatia desse mercado. Essa missão, no entanto, pode se mostrar mais difícil do que a concorrência com táxis em serviços de transportes pessoais.



De acordo com Kevin Abbott, vice-presidente da empresa de logística C. H. Robinson, "a indústria de transportes é firmada em relacionamentos", e "envolve muito mais fatores do que simplesmente encontrar uma peça de equipamento".

 Jack Atkins, analista de transporte do banco Stephens Inc. também não vê "isso como uma ameaça no curto prazo por causa da complexidade do negócio". De acordo com ele, as empresas têm uma aversão maior ao risco na hora de escolher um transporte para seus produtos do que as pessoas na hora de escolher um transporte para si mesmas.
Boas chances

  Ron, por outro lado, ainda se mostra otimista mesmo diante desse cenário. Isso porque o mercado de transportes ainda têm muitos serviços que se beneficiariam de uma solução de software semelhante à do Uber. "No Uber, você aperta um botão e seu carro chega em três minutos; para cargas... o padrão de ouro éque leva cinco horas de telefonemas para encontrar um caminhão para você", diz.

 Por enquanto, a empresa já está realizando testes movendo cargas em sua garagem. "Em breve", porém, a Otto já deve começar a transportar bens para outras empresas. Inicialmente, os caminhões autônomos levarão cargas de qualquer tipo, com exceção de materiais perigosos (explosivos ou tóxicos). 

Via Olhar Digital.

Fliegl apresenta implemento com chassi arredondado na IAA 2016.



IAA também abre espaço para implementos que trazem novas tecnologias ao mercado.

Texto de Érico Pimenta. Editor-Chefe do Midia Truck Brasil 

 A Fliegl implementos, apresentou na IAA 2016 o seu novo implemento, que traz novidades ao mercado. Entre elas o chassi arredondado com aço que tem a dureza de 110 Brinell*.

*(O método Brinell é um método de medição da dureza, utilizado principalmente nos materiais metálicos. Este método foi proposto em 1900, pelo engenheiro sueco Johan August Brinell. É o primeiro ensaio de dureza. O teste típico consiste em um penetrador de formato esférico com 10 mm de diâmetro, feito de aço de elevada dureza ou de carbeto de tungstênio. Fonte Wiki)














 Ao utilizar materiais resistentes e leves ao mesmo tempo, a Fliegl conseguiu fazer que o seu implemente tivesse um peso de cerca de 4 toneladas. Ao combinar com um cavalo mecânico 4x2 de 6 toneladas, assim ficamos com uma Tara de 10 toneladas, o que faz o implemento ter uma capacidade de carga de 30 toneladas, o que é uma solução para o transporte na Alemanha. 



 Ainda segundo a Fliegl, o implemento não foi feito apenas pensando na capacidade de carga, mas também na economia, já que o modelo foi projetado para ser mais aerodinâmico o que gera economia de combustível. 






Reativação de terminal hidroviário evita mais de 16 mil viagens de caminhão





Reportagem do ZH Economia.

Operação recomeça nesta terça-feira, com duas partidas semanais

 Paralisada desde janeiro de 2010, a movimentação de cargas em contêineres no Terminal Santa Clara, em Triunfo, está de volta. A reinauguração ocorreu nesta terça-feira. O recomeço da operação, uma parceria entre a Braskem e a Wilson Sons, dá a largada com cargas de resinas da própria empresa petroquímica, além de peças, fumo, móveis e carne de frango. As mercadorias são levadas em barcaças pelo rio Jacuí e Lagoa dos Patos até o Porto de Rio Grande, onde são carregadas em navios de maior porte para exportação ou cabotagem (navegação entre portos do mesmo país).

 Paulo Bertinetti, diretor-presidente do Tecon Rio Grande, controlado pela Wilson Sons, explica que, em um primeiro momento, serão duas partidas semanais do terminal, às terças e sextas-feiras. Além do menor custo, o transporte via barcaças, observa o executivo, traz alívio às estradas gaúchas.



— É o equivalente a 340 viagens de caminhões a menos por semana — observa Bertinetti, que prefere não revelar o investimento no projeto.

 Por ano, seriam mais de 16 mil deslocamentos de caminhões evitados. A economia com o uso do modal hidroviário, acrescenta, fica entre 5% e 10% na comparação com o rodoviário. Além da redução de custos, a operação está fazendo com que cargas que antes eram direcionadas para portos catarinenses para exportação agora utilizem Rio Grande.

 Um dos próximos desafios para aumentar a viabilidade da operação é conquistar cargas no trajeto de retorno. Os potencias clientes são indústrias que importam insumos.


 Batizado de Contesc, o terminal renasce com potencial de movimentar 100 mil TEUS (contêiner de 20 pés) por ano, o que seria equivalente a 15% do volume que passa pelo Tecon Rio Grande. A atração de cargas seria principalmente em um raio de 100 quilômetros de Triunfo. A Wilport, da Wilson Sons, vai operar o terminal e prospectar clientes.


 Ligado ao rio Jacuí por um canal artificial, o terminal seria usado pela Braskem para para receber carregamentos de etanol, mas depois o modal adotado foi o ferroviário.



TRANSBURG ABRE VAGAS PARA MOTORISTAS



 A Burg & Herdt Transportes LTDA localizada em Ponta Grossa, Paraná, abriu nesse último sábado (24) o processo seletivo para a contratação de motoristas profissionais. Segundo informações disponibilizadas pela própria empresa em sua página nas redes sociais, as vagas são para motoristas de bitrem tanque e graneleiro com início imediato.

 Para concorrer a uma das vagas os candidatos deverão atender os seguintes requisitos, Carteira Nacional de Habilitação (CNH) na categoria E, Ensino Fundamental completo e experiência mínima de um ano e meio com bitrem. A empresa reforça ainda a preferência por candidatos que residam no Paraná.



 Os motoristas interessados e que atendam os requisitos deverão comparecer na sede da empresa para preenchimento de ficha interna ou poderão enviar seu currículo pelo email: trans.burg1@hotmail.com . A Transburg disponibiliza ainda dois telefones para contato em caso de dúvidas, (42) 3228-1962 ou (42) 3223-5763.

 A Transburg foi fundada em 2005 e hoje atua principalmente no Paraná, Santa Catarina, Goiás e Mato Grosso, transportando cargas secas e granéis.





Burg & Herdt Transportes LTDA

Endereço: Av. Tocantins, 605, bairro Cara-Cara, CEP: 84043610 - Ponta Grossa, PR
Telefone: (42) 3228-1962 ou (42) 3223-5763
Email: trans.burg1@hotmail.com


TEXTO: Lucas Duarte
Blog Caminhões e Carretas



Caminhoneiros sofrem com falta de descanso, aponta pesquisa



 Não é novidade que os caminhoneiros que rodam pelas estradas brasileiras enfrentam problemas de saúde e sofrem com a falta de descanso.

 Além disso, um estudo feito pelo programa Saúde na Boleia, da Arteris, concessionária de rodovias, entre agosto de 2015 e 2016, com quase cinco mil motoristas, apontou que 10% deles dirigem com sono, aumentando o risco de acidentes no trânsito, e que 8% admitiram o uso de anfetaminas. 


 “A relação do estado de saúde com a segurança no trânsito é direta. Por isso, investimos em ações de conscientização e serviços voltados para o caminhoneiro”, explica Maria José Finardi, coordenadora do Saúde na Boleia. Ainda segundo a profissional, é comum encontrar motoristas que há muitos anos não faziam exames clínicos e, durante o atendimento, descobriram males como pressão alta e diabetes.

Sonolência

 Entre os exames realizados nas tendas montadas pela Arteris em pontos estratégicos de rodovias, como a Régis Bittencourt e a Fernão Dias, está o de sonolência. Os testes identificam o grau de cansaço dos condutores, medido de acordo com a Escala de Sonolência de Epworth.

  O resultado de até 9 pontos indica uma condição considerada normal. Acima dessa pontuação é recomendado procurar um médico. Porém, pelos dados do levantamento, verificou-se que 1 em cada 10 motoristas estão na faixa mais alta da Escala de Epworth, com risco 70% maior de sofrer acidentes. 


 Cerca de 39% dos entrevistados ficam fora de casa por mais de 20 dias por mês, e 1% tem jornada de mais de 18 horas diárias. Já 40% dormem no próprio caminhão. Para enfrentar a rotina desgastante e prazos apertados, muitos deles recorrem às drogas: além dos 8% que admitiram usar anfetaminas, 19% afirmam que já se envolveram em acidentes nas estradas.
Problemas de saúde


 O excesso de peso também é outro problema identificado em quase metade dos caminhoneiros abordados. Aproximadamente 24% estão obesos e outros 25% com sobrepeso. Doenças associadas a má alimentação também são comuns entre eles: 14% sofrem de hipertensão, 33% apresentam colesterol alto, 61% estão com taxa alta de glicemia e 40% com triglicérides alta.

Via Regiao Noroeste


MARCOPOLO FORNECE 15 ÔNIBUS VIAGGIO 900 PARA A EXPRESSO PRINCESA DOS CAMPOS



 Veículos proporcionam mais comodidade em viagens de médias distâncias

 A Expresso Princesa dos Campos, uma das mais importantes operadoras de transporte do Sul-Sudeste do País, recebeu 15 novos ônibus Marcopolo Viaggio 900. As unidades foram adquiridas dentro do processo de renovação de frota da companhia e serão utilizadas em rotas intermunicipais e interestaduais.

 Segundo Paulo Corso, diretor de operações comerciais e marketing da Marcopolo, os novos ônibus adquiridos pela Princesa dos Campos permitem ampliar o conforto e segurança para os passageiros. “São veículos de última geração que possuem os mais modernos e sofisticados equipamentos. Têm como diferencial carroceria com 14 metros de comprimento e motor dianteiro, que aumenta a capacidade de poltronas (de 48 para 52 passageiros) e melhora o conforto para o usuário. A Princesa dos Campos já possui mais de 20 ônibus Marcopolo com essas características”, destaca o executivo.



 Os ônibus Marcopolo Viaggio 900 fornecidos à Princesa dos Campos são equipados com 52 poltronas do tipo Executivo Soft e cinto de segurança retrátil de dois pontos. Para maior conforto dos passageiros, o modelo conta vidros colados, sistema de ar-condicionado, assoalho com revestimento amadeirado e 26 tomadas com entrada USB para carregamento de equipamentos eletrônico distribuídas em cada par de poltronas. “Outro destaque são as poltronas do modelo Executivo Soft, com cinto retrátil que proporcionam maior segurança e comodidade em viagens de médias distâncias”.

 Com 14.000 mm de comprimento, o Marcopolo Viaggio 900 é equipado com chassi Volvo B 270F Euro V, freios a disco, computador de bordo e sistema multiplex. Com moderno desenho da Geração 7 de ônibus rodoviários da Marcopolo, o modelo foi desenvolvido para oferecer o mais elevado padrão disponível no mercado de ônibus intermunicipais.

 O Marcopolo Viaggio 900 possui tecnologia de alto padrão e oferece grande conforto aos usuários. O veículo tem menor custo operacional e fácil manutenção, com componentes e peças disponíveis em toda a rede Marcopolo. 



 Internamente, o Viaggio 900 conta com iluminação interna indireta mais forte e uniforme, sem perda do conforto visual. O projeto proporciona um ambiente aconchegante e ao mesmo tempo funcional, de acordo com a aplicação e o serviço.  O veículo possui ainda luzes de leitura em LEDs e as saídas individuais de ventilação bem como as teclas dos porta-focus.


 Com mais de 80 anos de história, a Princesa dos Campos é uma das mais importantes companhias de transporte do Sul-Sudeste do País. Em todas as suas linhas, a empresa percorre por ano quase 30 milhões quilômetros e realiza a entrega de 1,6 milhões de encomendas por ano, com média de 890 mil passageiros transportados por mês.

Via Marcopolo





Top