Publicidade

Slider[Style1]

Style2

Style3[OneLeft]

Style3[OneRight]

Style4

Style5

Style6[OneLeft]

Style6[OneRight]

Ibor Transporte Rodoviário abre oportunidade para Motoristas sem experiência.


 A Ibor Transporte Rodoviário, empresa mineira com 44 anos de experiência no transporte rodoviário de cargas, divulgou na última semana a abertura de um novo processo seletivo para a contratação de motoristas.



 Segundo a publicação nas redes sociais, a empresa busca por jovens apaixonados por logística para compor seu time de profissionais. Para concorrer a uma das vagas os candidatos devem atender os seguintes requisitos, Carteira Nacional de Habilitação (CNH) categoria E e idade mínima de 21 anos. A Ibor destaca ainda na publicação que não está sendo exigida experiência na função

 Os motoristas interessados em participar do processo seletivo e que atendem os requisitos devem enviar o currículo para o E-mail: curriculo@ibor.com.br.

 Ibor Transporte Rodoviário abre oportunidade para motoristas sem experiência Empresa mineira oferece oportunidade para motoristas jovens que não possuem experiência

 Com sede em Juiz de Fora, Minas Gerais, frota de aproximadamente 300 veículos pesados e 50 caminhões leves, com idade média de três anos, A Ibor Transporte Rodoviário é especializada no transporte de materiais siderúrgicos, sucata para reciclagem e materiais para industria moveleira. Atendendo toda a região Sudeste, cobrindo os estados de Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo e algumas rotas regulares no Centro-Oeste e Sul do país.


TEXTO: Lucas Duarte


Série limitada em homenagem ao 113 marca o início das comemorações dos 60 anos da Scania no Brasil.

Montadora tem história traçada por inovações e pioneirismo.  

Texto de Érico Pimenta. Editor-Chefe do Midia Truck Brasil.

 Em julho, a Scania ira completar 60 anos de atividades no Brasil. Para dar início em grande estilo e do modo Scania, a mesma apresentou uma serie limitada a 60 unidades no qual faz uma justa homenagem ao Scania 113, o modelo mais famoso e icônico da montadora no Brasil, no qual em seu lançamento trouxe grandes tecnologias para a sua época. Ainda como curiosidade, a Scania série 3 foi responsável pelo primeiro prêmio da Scania no International Truck Of The Year em 1989 e uma cópia do troféu que e dado a montadora se encontra na fábrica em São Bernardo do Campo. 



 Além da série limitada, a Scania ainda programou ações e eventos tanto dentro como fora da fábrica em São Bernardo do Campo para recontar a as evolução e contribuição à história da indústria automotiva.

 Desde o desembarque no País, da constituição do primeiro nome Scania-Vabis do Brasil S/A – Motores Diesel, do escritório na Líbero Badaró, a mudança para São Bernardo até hoje, a empresa marcou sua trajetória por uma engenharia de ponta, pela qualidade dos produtos, força da rede de concessionárias e pelo foco na necessidade do cliente. “Acreditamos, investimos e conquistamos um espaço na história da indústria e do transporte nacional”, afirma Roberto Barral, diretor-geral da Scania no Brasil. “Somos movidos a desafios, e escolhemos esse momento para reforçar nossa jornada em direção a sermos parceiros para a transição para um sistema de transporte sustentável”.



 “A fábrica que temos aqui é um espelho da matriz, na Suécia, e única além dela que produz o veículo completo, com todos os componentes. Somados a isso estamos em um país de dimensões continentais com um potencial para transporte imenso. Por isso, asseguramos o nosso compromisso com o desenvolvimento do Brasil e visão de longo prazo”, diz.
 Segundo Barral, celebrar as seis décadas de conquistas no país significa rememorar o passado com a perspectiva de futuro. “Isso faz parte do nosso DNA. Por isso somos pioneiros em diversos aspectos. Entregamos soluções no presente, que antecipam o amanhã do transporte”, explica. “Temos orgulho de termos vivido a evolução do mercado em parceria com nossos clientes. Escrevemos juntos essa história e estamos trabalhando para oferecer o melhor hoje e nos próximos 10, 20 ou muitos anos à frente’.

 “A Scania sempre esteve presente onde havia demanda por transporte de cargas e de passageiros. Foi assim em importantes marcos do progresso de nosso país, como a construção de Brasília e de tantos outros fatos que transformaram o setor, como a integração entre veículos e serviços, a criação de tendências de produtos e tecnologias, o pioneirismo na caixa automatizada, os primeiros caminhões a etanol e o recente, e inédito, ônibus movido a GNV/biometano. O que a Scania fez e faz agora, certamente não será o mesmo dentro de 60 anos. É preciso inovar, imaginar o futuro do transporte e transformá-lo”, ressalta Barral.

 Hoje a Scania conta com uma rede de concessionárias com mais de 120 pontos de atendimento, que cobrem todo o território nacional.

Mais detalhes da série limitada.

 A Scania é famosa por lançar no mercado séries ou edições especiais comemorativas, que fazem grande sucesso no mercado. Para celebrar os 60 anos de Brasil não seria diferente. Já está sendo comercializada a oitava delas, a Série Especial 60 anos, que traz uma homenagem ao lendário Scania 113, lançado em 1991, e um dos caminhões mais famosos das estradas.

 Para representar o 113 foram escolhidos os modelos R 440 (6x2, 6x4 e 8x2) e R 480 (6x4), de versões Highline Streamline. A cor é a mesma, a emblemática azul celeste do 113. Outra marca do antigo modelo e revivida são as icônicas faixas laterais nas cores rosa, lilás e roxa. São duas opções de aquisição, o pacote Clássico (faróis de xenôn, geladeira e outros atributos) e o Clássico Estilo (adicionando rodas de alumínio polido, volante e assentos de couro e painel color plus).



 A Série Especial 60 anos oferece condições diferenciadas de aquisição. O financiamento pode ser feito com entrada parcelada em até 12 vezes, limitada a 30%, e taxa de 1,29% ao mês. O valor do seguro tem desconto de 5%. Além de três anos de garantia com o programa de manutenção Standard (que inclui revisões previstas, e trocas de óleo, filtros em geral e lubrificações específicas).

 Atenta às tendências globais de utilização da conectividade e foco em eficiência, a Scania também disponibiliza na Edição Especial 60 anos, os Serviços Conectados. Esta solução inovadora ajuda o transportador a fazer a gestão de sua frota por meio do uso inteligente de dados do veículo. O pacote integrado é o Análise, e válido por dez anos. Basta o cliente ir até uma concessionária da marca e ativar o módulo Communicator. O Análise oferece visão geral da frota conectada por meio de relatórios semanais e mensais e Portal de Gestão de Frotas para planejar antecipadamente as paradas de manutenção. Além de envio de diagnóstico remoto de falhas para o Scania Assistance, serviço 24 horas, que em caso de algum problema na viagem, o cliente terá um atendimento mais rápido e assertivo.

Nvidia e Paccar irão desenvolver um caminhão autônomo juntas.



Desenvolvimento de caminhões autônomos tem crescido e atraído cada vez mais empresas.

Texto de Érico Pimenta. Editor-Chefe do Midia Truck Brasil.

 A Nvidia (fabricante de chips norte-americana) anunciou hoje (17/03) que está trabalhando junto a PACCAR, no desenvolvimento de soluções para caminhões autônomos. 



 A novidade foi anunciada pelo próprio CEO da Nvidia, o Sr. Jen-Hsun Huang, que fez o anuncio durante a Bosch Connected World, que está acontecendo em Berlim, Alemanha. Além deste anúncio, o CEO da Nvidia aproveitou para dar mais alguns detalhes da parceria da empresa com a Bosch.

 O projeto que já está em andamento tem animado o CEO da Paccar, que comentou: “A Paccar está explorando sistema de condução autônoma e estamos animados com os resultados da colaboração em inteligência artificial com a Nvidia” Afirma Ron Armstrong. 



 Um vídeo foi divulgado no canal da Nvidia no Youtube sobre a parceria. O mesmo pode ser visto abaixo: 



Um pouco mais sobre o projeto.

 A Paccar (Kenworth, Peterbilt e DAF) desenvolveu o modelo autônomo acima com capacidade SAE Level 4, e usou a tecnologia da Nvidia Drive PX 2 que possui um autopoder de inteligência artificial.

 Durante a sua palestra, Huang ainda demostrou um vídeo no qual mostra um modelo da Paccar sendo testado em um campo de provas fechados, no qual o mesmo tinha que desviar de diversos obstáculos. O intuito é usar toda a tecnologia e capacidade do Drive PX 2 da Nvidia para tornar o modelo mais inteligente e seguro.  


Novo Mercedes-Benz Actros MP4 é visto em testes sem camuflagem.


Modelo já é testado no Brasil há tempos, porém, agora aparece sem camuflagem.

Texto de Érico Pimenta. Editor-Chefe do Midia Truck Brasil.

 A Mercedes-Benz que em 2016 completou 60 anos de atividades no Brasil, está testando a linha MP4 no Brasil a bastante tempo. Ainda que siga rumores, que a montadora alemã planeja um novo modelo para mercados emergentes como o Brasil, foi visto uma unidade do Actros MP4 sem camuflagem. 



 O modelo foi visto pela região de Indaiatuba, uma cidade do interior do estado de São Paulo. O modelo estava atrelado a um bi-trem 9 eixos (30 metros ou bi-trenzão), segundo o motorista Thiago Bizzi, autor das fotos, o modelo estava sendo testado por um engenheiro alemão. 

 O modelo fotografado em si pelo Thiago se trata do Actros MP4 com a cabine StreamSpace nível 2. A Mercedes-Benz oferece quatro variantes da cabine StreamSpace, que também é chamada de L. A StreamSpace ainda conta com duas opções com piso plano, no qual pelas fotos constamos que o modelo em teste não possui piso plano. 




 Para o lançamento na Europa, a Mercedes-Benz apresentou um portal interativo, onde você pode ver o modelo em 3D e dar um “walk around” ou dar uma volta entorno do caminhão. Para acessar o portal, basta acessar o site: http://new-actros.trucks-mercedes-benz.com/en/Comfort/details/Cab%20comparison/Cabs/StreamSpace,%202300%20mm,%20engine%20tunnel%20170%20mm/zoom.html

 O lançamento da linha MP4 no Brasil ainda não tem uma previsão, alguns suspeitam que a montadora pode apresentar algo na Fenatran 2017, na qual a montadora já confirmou sua participação. 



Porque a Scania não “relançou” a 113 ao invés de fazer uma serie limitada?


Nova série limitada a 60 unidades faz uma justa homenagem ao clássico Scania 113.

Texto de Érico Pimenta. Editor-Chefe do Midia Truck Brasil.

  Você já deve ter visto (até mesmo porque antes do lançamento, fotos da série limitada vazaram na internet) a nova série limitada da Scania, que usa como base os modelos R440 e R480 e faz uma homenagem ao Scania 113 (série 3) o modelo mais icônico da montadora no Brasil. 



  A nova série limitada, terá apenas 60 unidades com dois níveis de acabamentos, que serão oferecidos como clássico e clássico estilo, porém ambas terão a cabine CR-19-H (HIGHLINE), além de bancos em couros, rodas alcoas com calotas e a grande na pintura da cabine (ponto no qual a Scania acertou deste a Griffin Edition).




 Porém, muitos comentavam ou se perguntavam porque a Scania não relançou a 113 em uma versão mais moderna com motores atuais ou simplesmente como era antigamente. Bem a resposta para esse comentário não é tão simples quanto se parece. Mas antes, vamos entender alguns pontos.

 Em entrevista concedida ao Blog Caminhões e Carretas, Celso Mendonça (gerente de desenvolvimento de negócios da montadora no Brasil) ele explicou que essa série limitada não é uma releitura da Scania 113, mas sim uma homenagem de um caminhão que foi o precursor de todas as preocupações da Scania, que se tornaram o foco principal nos anos seguintes, como exemplo, respeito e valorização do motorista e a alta produtividade aliada ao baixo custo de operação.   



 Além disso, Celso também menciona um ponto importante, o 113H foi um marco inicial da transição dos modelos bicudos para os modelos com cabine avançada no Brasil (cara-chata). O que não deixa de ser verdade, já que durante a série 4 (Lançada no Brasil em 1998) os modelos bicudos já não vendiam tanto é que quando falamos em séries especiais, apenas duas séries especiais saiu para modelos bicudos da série 4 que foram a Millenium (limitada a 1.000 unidades) e a série Horizonte, que fazia uma homenagem ao famoso Jacaré.

 A Scania terminou a produção oficial de modelos bicudos na Europa em outubro de 2005, é o release ou anuncio a imprensa foi divulgado pela empresa em 22 de abril de 2005. A Scania afirmou neste comunicado que as vendas na Europa em 2004 somaram menos de 1.000 unidades, um número muito baixo, além de que os modelos com cabine avançada têm suas vantagens. 

  R-Series lançada na Europa em 2004. Modelos T ainda eram produzidos, com novo interior. O modelo mais top era o T580 V8 Topline.


Relançar. Dinheiro, tempo e burocracias.

 Agora chegamos ao ponto do texto. Porque a Scania não refez uma versão mais moderna da 113 ou simplesmente não fabricou umas poucas unidades? Afinal, ela já fabricou uma vez, pode fabricar novamente. Bem não é assim que as coisas funcionam.  

 Fabricar um caminhão já é um processo trabalhoso, tecnológico e caro, sim, bastante caro. Ainda mais no Brasil. Vamos supor que a Scania resolva relançar a 113 com toda a modernidade e eletrônica de hoje. Primeiro, ela ia ter que atualizar todo o projeto do 113, fazer uma alteração ou outra, até mesmo para caber o novo motor, tanque de arla, catalizador, filtros de ar mais eficientes e compatível com o motor Euro5, além de usar materiais mais leves e resistentes.

 Após dá uma atualizada em todo o projeto, começa a parte de testes e burocracia. Quando uma montadora está trabalhando em um novo projeto, além de registrar o desenho do modelo no sistema de patentes (que muitos carros têm sido revelados por suas imagens de patente vazarem na internet) ela tem que fazer testes exaustivos, um exemplo disso é a nova Scania já encontra com 4 unidades de testes no Brasil. (Duas ficam na região de Montes Claros MG) uma OFF Road fica no interior de São Paulo e outra foi vista no final do ano, também na região do interior de São Paulo, porém essa já estava emplacada se tratava de um modelo equipado com o motor de 620 cv V8. Esses testes podem durar anos, já que se fazem teste de clima, terreno, quilometragem, esforço de trabalho, componentes e assim vai.   



 Depois de realizar todos os testes, a montadora tem que homologar o veículo, ou seja, o veículo é mais uma vez submetido a testes regulamentados para ter a aprovação para rodar no Brasil.

 Homologado, começa a sua pré-produção, e aqui fica uma curiosidade. Já notou como em grande parte os jornais ou portais de notícias falam montadora ao invés de fábrica de caminhões? Isso se dá ao fato de que a maioria das peças e componentes do caminhão não são feitos na fábrica, e sim so são montados, é isso e parte da pré-produção de um modelo, onde você tem que mandar o novo projeto para seus fornecedores para eles fabricarem os componentes, como vidro, bancos, interiores, e assim vai.

 Outra parte também e a atualização da linha de Montagem. Os robôs que fazem as soldas devem receber uma atualização de software para “conhecer” os novos pontos de soldas, ou seja, para soldar as partes da cabine e outros.

 Esses detalhes são só para fabricar, ainda falta dar treinamento a rede de concessionários, campanhas de marketing entre outros, e por isso que as vezes recebemos modelos atrasados.

 No final, como podem notar, é um processo longo, demorado e caro fazer um caminhão, e no final investir um alto valor, não estamos falando de valores na casa de mil, mas de milhão, para apenas ser uma série limitada ou especial.

  A Scania sempre mandou bem em suas series especiais, eu mesmo, quem escreve esse longo artigo não teria criatividade para desenvolver uma. Se olhamos para a primeira série especial de 1991 até a atual, a Scania fez ótimas series, algumas, claro, ficam mais na memória do que outras, como a Millenuim, Rei da Estrada e Silver Line por exemplo. A nova série limitada não faz feio, traz detalhes únicos como a grade na cor do veículo, acessórios internos, e claro que quando olhamos para as series limitadas da Europa, sentimos faltas de alguns detalhes, como a já clássica placa na parte de trás da cabine com o nome e número da série limitada. Mas no fim, o 113 recebeu uma bela homenagem, e acredito que não será a única.    


Volvo apresenta edição limitada Ocean Race 2017-2018 para o Volvo FH.


Edição limitada que já é uma tradição traz novos detalhes exclusivos ao FH.

Texto de Érico Pimenta. Editor-Chefe do Midia Truck Brasil.

 A Volvo Trucks apresentou hoje (14/03) a mais nova versão da edição limitada Ocean Race. A edição que já foi apresentada para demais gerações da linha FH, ganhou em sua edição 2017-2018 novos detalhes exclusivos, além da nova cor, que se trata do azul gelo metálico, chamado pela Volvo de ice-blue Cool Breeze Metallic. A nova edição limitada também terá outra cor inédita como opção, chamada de sand-coloured Shimmering Gold (areia dourada). 



Além das novas cores, a edição 2017-2018 ganhou um novo desenho na lateral, que ainda segue a linha dos antigos que são formados por retângulos e faixas. A série ainda apresenta a identificação frontal na cabine.

 Já para o interior, o Ocean Race recebeu um dos detalhes mais surpreendente, além do banco com a costura no tom de azul gelo e as laterais também na cor azul, ao centro do banco é possível encontrar um mapa com o ponto inicial e final da competição, tal mapa também e encontrado nas cortinas do caminhão.


 A série limitada está disponível para a linha FH e pode ser equipado com os motores de 13 litros, nas potencias de 500 e 540 cavalos de potência, que são equipados com I-Shift Dual Clutch e retarder. O modelo ainda conta com Safty package como opcional. A nova série está disponível apenas para as cabines Globetrotter ou Globetrotter XL.

 A edição limitada 2017-2018 Ocean Race já está à venda para clientes da Volvo Trucks pela Europa.     




Top