About Me


Scania lança nova gama de motores V8 com potências de 530, 590 ,660 e 770 cavalos



Novo motor V8 entrega até 3% de economia de combustível 

 Em 2010, a montadora Scania surpreendeu o mercado apresentando o poderoso motor V8 de 730 cavalos, agora, exatos 10 anos depois, a Scania apresenta toda uma nova gama de motores V8 com as potências de 530, 590, 660 e por fim 770 cavalos, este que se torna o caminhão mais potente do mundo em linha de produção. 

A nova gama de motores V8 trazem diversas novidades, entre os destaques estão: 

*Quatro novos trens de força com economia de combustível de até 6%; 

*Baixo atrito interno, turbocompressor atualizado e sistema auxiliaria mais inteligentes; 

*Sistema de pós-tratamento atualizado.



Potente, mas econômico  

 

 A nova gama de motores V8 da Scania, (que substitui a atual linha) não entrega apenas potência, mas junto ao um novo trem de força, a economia chega a 6%.  

 

 “Aproveitamos a vasta experiência em V8 da Scania e continuamos a aprimorar o que gerações de engenheiros qualificados aprenderam, criaram e alcançaram antes de nós”, disse Göran Lindh, engenheiro-chefe dos motores V8 da Scania. “Não há saltos quânticos, trata-se apenas de refinar as coisas e adicionar a tecnologia mais recente. O novo *EMS permite um software de controle do motor mais inteligente e avançado com maior precisão. Podemos, por exemplo, calcular com mais precisão quanto combustível é necessário e quando”.   


Novo motor V8 da Scania. Divulgação / Foto: Scania Group

 *O EMS (Engine Management System) interage com o AMS (Aftertreatment Management System). Ambos são altamente críticos para atender às regulamentações Euro 6  e futuras sobre NOx e partículas. (E não apenas quando o caminhão é novo, mas também com o tempo; a demanda legal é de pelo menos sete anos ou 700.000 quilômetros.) A Scania adicionou uma nova solução em que o fluido AdBlue é injetado duas vezes: uma diretamente após o freio de escape e uma segunda dose na posição “normal” no próprio silenciador. Com a dosagem extra, a evaporação do AdBlue é melhorada durante os ciclos de carga baixa, uma vez que a temperatura é mais alta perto do coletor de saída. 

 

 Com a dosagem extra, a estratégia de pós-tratamento é aprimorada e também contribui para uma melhor eficiência de combustível. 

 

 Outro destaque é o peso do motor em si, com a eliminação de certos componentes pesados e simplificar outros, reduziu o peso em até 75 kg, em comparação com seu antecessor. 

 

 “Os novos manifolds de banco único, na verdade, vêm com uma pequena vantagem”, explica Lindh. “Eles não são apenas mais leves e eficientes, mas também contribuem para o som distinto do V8, o borrão típico que tantos clientes da Scania e fãs do V8 apreciam. Não gera mais ruído, mas é o resultado de como os gases de exaustão podem colidir, devido à ordem de disparo, dentro do manifold ao sair. ” 

 

 Outra novidade do motor V8 é a nova bomba de combustível de alta pressão onde os elementos de bombeamento são controlados individualmente (AIM, Medição de entrada ativa). A pressão geral e o controle de entrada serão aprimorados com diagnósticos aprimorados para maior tempo de atividade e desempenho. A nova bomba também é otimizada para minimizar o consumo de óleo do motor. Além disso, a taxa de compressão e a pressão máxima do cilindro foram aumentadas para melhorar ainda mais a combustão e a eficiência do combustível. 


Nova caixa G33CM. Divulgação / Foto Scania Group

Nova caixa de câmbio de alta tecnologia  

 

 A Scania está introduzindo uma nova linha de caixas de câmbio que, eventualmente, substituirão todas as soluções automatizadas Scania Opticruise atuais. O primeiro membro da nova gama - G33CM - está ligado aos V8s atualizados e aos motores de alta potência de 13 litros da Scania com 500 e 540 CV. A Scania investiu mais de 400 milhões de euros na nova linha para reforçar sua posição premium. Com suas capacidades de referência, a nova linha de caixas de câmbio automatizadas garante que os conjuntos de força bem-sucedidos, de baixa rotação e com baixo consumo de combustível da Scania mantenham sua liderança nesta década. 

 

 “Esta introdução adiciona outro componente vital da Scania para permanecer altamente competitivo em motorizações baseadas em ICE até 2030”, disse Alexander Vlaskamp, vice-presidente executivo, chefe de vendas e marketing. “A nova gama de caixas de velocidades é um excelente exemplo da excelência tecnológica da Scania, trazendo mais combustível e eficiência de transporte aos nossos clientes de forma sustentável”. 

 

 A Scania tem uma longa e orgulhosa tradição em oferecer caixas de câmbio manuais automatizadas com o nome Scania Opticruise, que foram introduzidas pela primeira vez no início dos anos 1990. Mas por que investir no desenvolvimento de uma nova linha de redutores quando a Scania já possui o que é amplamente considerada uma das melhores soluções do mercado? 

 

 “É absolutamente necessário”, afirma Vlaskamp. “Nossas novas caixas de câmbio oferecem as melhorias necessárias para um transporte rodoviário mais eficiente e sustentável na próxima década. Uma característica principal é a ampla difusão, tornando-os mais adequados para atender aos nossos motores de baixa rotação com marchas econômicas estendidas e consumo de combustível reduzido”.   

 

 O início das vendas da primeira versão das novas caixas de câmbio está previsto para outubro. Eles podem ser acoplados com três dos quatro Euro 6 V8s da Scania e dois seis motores em linha. Os primeiros caminhões do cliente com uma solução Scania Opticruise baseada em G33CM serão produzidos no primeiro trimestre de 2021. 


Postar um comentário

0 Comentários