PubliRandon

Leilão do lote 2 do Paraná tem empresa vencedora e garante pedágio mais barato

Com leilão, motoristas terão cerca de 40% de desconto nas tarifas - Foto: Marcio Ferreira/MT

"Nossos dois leilões já trouxeram R$ 18 bilhões para o Paraná, fora o investimento em operação", disse o ministro Renan Filho

 A infraestrutura rodoviária do Paraná, especialmente o acesso ao litoral e à região do porto de Paranaguá vai ganhar um impulso nos próximos anos com a concessão ao consórcio Infraestrutura EPR do lote 2 de rodovias do estado. A empresa venceu o leilão promovido pelo Governo Federal, por meio do Ministério dos Transportes e da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), nesta sexta-feira (29) na B3, a Bolsa de Valores de São Paulo. Com o resultado, os motoristas que passarem pelas três rodovias federais e quatro estaduais pagarão um pedágio em média 40% menor aos valores praticados anteriormente no estado.



 Com a concessão ao consórcio formado pelas empresas Grupo EPR e Perfin Voyager Fundo de Investimento, os paranaenses sentirão a diferença a partir dos investimentos de R$ 17,3 bilhões previstos para os próximos 30 anos. Deste total, R$ 10,8 bilhões serão destinados a novas obras e R$ 6,5 bilhões para serviços operacionais. O aporte financeiro vai criar um padrão de vias, que conseguirão atender ao crescente fluxo de transporte de cargas e escoamento de produção agrícola na região portuária.

 “Nossos dois leilões já trouxeram R$ 18 bilhões para o Paraná, fora o investimento em operação. O Paraná vai se notabilizar como um dos estados mais preparados com esse impulso na infraestrutura que estamos propiciando. Esse ciclo de investimento vai aproximar o estado do Paraná ao estado de são Paulo em termos de atração de investimento e negócios do Brasil”, disse o ministro dos Transportes, Renan Filho.

 O contrato de concessão prevê uma série de medidas para melhorar as condições de tráfego. Entre elas, a adoção de valores diferentes para pista simples e dupla, inovações estruturais e tecnológicas que incluem áreas de escape e iluminação inteligente (LED) em pontos críticos e investimentos em paradas de descanso para caminhoneiros, pontos de ônibus e passarelas para pedestres. A área de influência direta do lote licitado abrange 27 municípios agrupados em dois blocos de rodovias.

Quais são as melhorias previstas com a concessão?

• No primeiro ano, ações emergenciais e de recomposição da sinalização

• Do segundo ao quinto ano, a concessionária fará a recuperação estrutural das rodovias;

• Ampliação de capacidade, melhorias e manutenção nos 604,66 quilômetros de pista;

• Duplicação de 350,2 quilômetros de pistas;

• Implantação de 138,7 quilômetros de faixas adicionais;

• Construção de 72,3 quilômetros de ciclovias;

• Criação de 74 quilômetros de novas vias marginais;

• Instalação de 112 obras de arte especiais, como viadutos, passagens e retornos.

 “É fundamental atrair a iniciativa privada para atuar no setor de transportes, para que se junte ao Poder Público e consigamos alavancar nossas rodovias, encurtando distâncias, diminuindo custos, destravando gargalos e ajudando a economia do Brasil a crescer”, disse o secretário-executivo do Ministério dos Transportes, George Santoro.



 Acostumado a percorrer os dois sentidos da BR-277/PR, o vendedor técnico Paulo Lima, 58 anos percebeu o aumento considerável no fluxo de veículos nos últimos anos, assim como as consequências na rodovia: precisa aprimorar sinalização e iluminação, criar áreas de recuo, pontos seguros de parada nas margens da pista e de construção de faixas exclusivas para ciclistas. “É muito importante ter ciclovias porque tem vários ciclistas que descem e sobem a serra e não tem área de recuo. Volta e meia vejo acidentes com ciclistas e geralmente é fatal”, disse.

Novidades previstas na concessão

• Desconto para usuário frequente (DUF)

• Desconto Básico de Tarifa (DBT): 5% de desconto na tarifa para todos os usuários do sistema automático de cobrança de pedágio;

• Reclassificação tarifária: preços diferentes para pistas simples e dupla

• Aporte progressivo de recursos vinculados, proporcionais ao deságio oferecido, para evitar deságios excessivos no leilão;

ׇ• Mecanismo de mitigação de risco de demanda;

• Ponto de parada e descanso para caminhoneiros (PPD);

• Implantação de área de escape;

• Segurança Viária com a aplicação da metodologia iRap de avaliação da qualidade de rodovias.

 “O lote 2 é muito importante porque ele liga a cidade de Curitiba a porto passando pela BR-277 e também a cidade de ponta grosso ao norte do Paraná. São importantes vias de fluxo de tráfego, importantes corredores logísticos”, afirmou a secretária nacional de Transporte Rodoviário, Viviane Esse.

Praças de pedágio:

• São José dos Pinhais (BR-277)

• Carambeí (PR-151)

• Jaguariaíva (PR-151)

• Sengés (PR-151)ׇ

• Quatiguá (PR-092)

• Jacarezinho (BR-153 e BR-369)

 O motorista profissional de carreta bitrem, Maurício Henrique de Sá Mafra, 42 anos, percorre as estradas paranaenses há mais de 20 anos e aguarda com expectativa o início das obras previstas nas concessões de rodovias no Paraná. Em sua carreta, ele carrega cerca de 35 toneladas de matéria-prima para ração animal, no trajeto do litoral para o interior, e retorna com soja, milho e farelo. “Sem sombra de dúvida, a duplicação é o melhor caminho e, com certeza, evitaria muitas tragédias”, disse.


Postagem Anterior Próxima Postagem