PubliRandon

Agrotoken marca presença na Tecnoshow Comigo 2023

Empresa pioneira na tokenização de commodities agrícolas apresenta solução inovadora nos estandes das marcas da CNH Industrial e da Hölh

 A Agrotoken – pioneira no mundo na tokenização de commodities agrícolas -, estará presente na Tecnoshow Comigo 2023, que acontece de 27 a 31 de março, em Rio Verde (GO). Durante os cinco dias de evento, a empresa apresenta a possibilidade de transformar os próprios grãos cultivados em uma espécie de ‘moeda digital’ para realizar diversas transações financeiras, como a compra de máquinas e implementos agrícolas, nos estandes da Case IH e da New Holland Agriculture, marcas da CNH Industrial, - em parceria com o Banco CNH Industrial, responsável pelos serviços financeiros do Grupo e no estande da IVECO, que conta com todo o suporte e expertise do Banco CNH Industrial, representado pela Iveco Capital. A Agrotoken também estará no estande da Hölh, concessionária John Deere.



VEJA MAIS:


 Prestes a completar um ano, dentro do mercado nacional, a presença contínua da Agrotoken em feiras e eventos do setor e em parceria com diferentes marcas, tem como objetivo apresentar as vantagens da tokenização dos grãos.”Somente neste primeiro trimestre do ano, já marcamos presença nas três principais feiras do segmento, tendo como apoio essas importantes parcerias. O que buscamos em conjunto, é a apresentação dessa novidade, reforçando a possibilidade de utilizar os grãos digitais em diferentes fornecedores”, destaca Anderson Nacaxe, diretor da Agrotoken no Brasil.

Como funcionam as transações financeiras com ‘grãos digitais’

 Para aquisição de bens nesta modalidade, a empresa transforma os grãos físicos do produtor em um bem digital. Com os grãos físicos digitalizados na plataforma da Agrotoken - transacionados de forma segura por meio da tecnologia blockchain -, os grãos são convertidos em ‘agrotokens’ como crédito para o produtor transacionar em operações comerciais e financeiras, sempre com o apoio direto dos grãos, que tem seu valor atrelado ao preço da soja, milho e trigo. 



 Vinculados à origem da emissão do ativo físico, os agrotokens são lastreados em ativos reais, ao contrário dos NFTs. Isso significa que têm valor idêntico em todo o território nacional, independentemente de onde e por quem foram emitidos, conforme preço indexado em índices como Esalq, CEPEA/B3, Argus e Platt, paridade que a torna uma stable coin, ou seja, moeda de baixa volatilidade.

Primeira venda 

 A primeira transação em ‘grãos digitais’ para aquisição de uma máquina agrícola, um trator T8 da New Holland Agriculture, ocorreu recentemente, durante um evento em Cascavel, Paraná, graças à parceria com o Banco CNH Industrial. Até o final do ano, a Agrotoken tem como estratégia de mercado “tokenizar” mais de 1 milhão de toneladas de grãos no Brasil.


Postagem Anterior Próxima Postagem